Bolsonaristas saem às ruas para pedir voto impresso


(Reprodução)

Apoiadores do presidente Jair Bolsonaro fizeram manifestações em dez capitais do país neste domingo (1º). Os atos pedem o voto impresso e auditável, uma bandeira do presidente Bolsonaro após sua queda de popularidade revelada por sucessivas pesquisas, que apontam aumento da rejeição ao seu nome e ele perdendo no segundo turno para o ex-presidente Lula, para o ex-ministro Ciro Gomes e outros três possíveis candidatos (João Doria, Luiz Henrique Mandetta e Fernando Haddad) .

Em Brasília, os manifestantes se reuniram na Esplanada dos Ministérios e um dos presentes foi o ex-ministro das Relações Exteriores Ernesto Araújo, que deve se mudar para os Estados Unidos nas próximas semanas e participou do protesto sem máscara de proteção, um item de segurança obrigatório para evitar a propagação da covid-19. Demitido por Bolsonaro em março deste ano após sofrer ameaça de impeachment do Senado, Araújo disse que "o povo tem que confiar na integridade do voto", embora Bolsonaro tenha sido eleito em 2018 também através de votação eletrônica.

"Pauta absolutamente fundamental. Acho que o povo tem que confiar na integridade do voto. Não tem por que não proporcionar o povo essa confiança na integridade do voto. Claro que é necessária a presença na rua", afirmou Araújo, citado pelo Globo.

No Rio de Janeiro, o ato aconteceu na praia de Copacabana, na Zona Sul da cidade. De acordo com o Centro de Operações da cidade, os manifestantes ocuparam a orla na Avenida Atlântica e interditaram a rua Miguel Lemos na altura da Avenida Nossa Senhora de Copacabana.

Em Salvador, segundo o jornal A Tarde, cerca de 600 manifestantes se reuniram no Farol da Barra para defender o presidente e pedir o voto impresso. Foram registradas manifestações em pelo menos dez estados: Rio de Janeiro, São Paulo, Distrito Federal, Alagoas, Bahia, Goiás, Maranhão, Minas Gerais, Pará e Roraima.

300X350px_Negra.gif
1/3
NIT_728x90-03.gif
NIT_300x250-01.jpg
728X90px (2).gif