Bolsonaro condecora a si mesmo com título do Mérito Científico


Bolsonaro fez propaganda de remédio cientificamente comprovado ineficaz contra a covid (Reprodução)

Isso não é uma piada. Foi publicado no Diário Oficial da União desta quinta-feira (4) um decreto em que o presidente Jair Bolsonaro condecora a si mesmo, além de alguns de seus ministros, com títulos da Ordem Nacional do Mérito Científico.

A honraria é concedida a personalidades brasileiras e estrangeiras como forma de reconhecimento das suas contribuições científicas e técnicas para o desenvolvimento da ciência no Brasil.

Também foram ‘homenageados’, conforme o decreto presidencial, o ministro Marcos Pontes (Ciência e Tecnologia), como chanceler; e os ministros Paulo Guedes (Economia), Carlos França (Relações Exteriores) e Milton Ribeiro (Educação), como membros do Conselho da Ordem Nacional do Mérito Científico.

Jair Bolsonaro se notabilizou mundialmente por negar evidências científicas na gestão pandemia no Brasil. Bolsonaro desqualificou vacinas e defendeu uso de medicamentos, como a cloroquina e a ivermectina, comprovadamente ineficazes para tratamento de pacientes infectados com a covid-19 - motivos pelos quais foi indiciado, por charlatanismo, pela CPI da Covid. Bolsonaro também espalhou desinformação sobre a pandemia e até mentiu dizendo que pessoas vacinadas contra a covid-19 desenvolveram Aids.

Em outubro, o governo cortou R$ 600 milhões no orçamento do Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovações, deixando a pasta com R$ 89 milhões.

Apesar de a auto-condecoração de Bolsonaro ser verdade, nas redes sociais foi chamada de "piada" por internautas. As deputadas federais Erika Kokay (PT-DF) e Talíria Petrone (PSOL-RJ) não deixaram passar em branco - veja a seguir.



300x250px.gif
728x90px.gif