728x90_2.gif

Bolsonaro confirma seu 'extremamente evangélico' ao STF


André Mendonça quando tomou posse como ministro da Justiça (Foto: Agência Brasil)

O presidente Jair Bolsonaro confirmou nesta segunda-feira (12) a indicação do advogado-geral da União, André Mendonça, para a cadeira de ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), que ficou vaga com a aposentadoria do decano Marco Aurélio Mello, que completou 75 anos, idade limite para ocupar o cargo. O anúncio foi feito após visita no meio da tarde ao presidente do STF, Luiz Fux. Em conversa com jornalistas, Bolsonaro disse que "ele [Mendonça] é sim extremante evangélico, é pastor evangélico", e que pediu a ele oração uma vez por semana na Corte.

Para tomar posse, Mendonça ainda precisará ter o nome aprovado pela Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) do Senado e pelo plenário da Casa.

A indicação de Mendonça é a segunda feita por Bolsonaro para uma vaga no Supremo. No ano passado, o presidente indicou o ministro Kassio Nunes Marques para a cadeira do decano Celso de Mello, que também se aposentou.

Ex-ministro da Justiça, após a demissão do ex-juiz Sérgio Moro do cargo, André Mendonça tem 47 anos e nasceu em Santos (SP). É advogado da União desde 2000.

Apesar de haver alguma resistência no Senado ao seu nome, isso não deverá impedir a aprovação pelo plenário. Há receio de que ele repita o estilo do ministro Kassio Nunes Marques, primeira indicação de Bolsonaro ao STF, que já se posicionou ao menos 20 vezes a favor do governo desde que chegou à Corte.

1/3
BANNER_ESTATICO_300X250_v2-01.jpg