Bolsonaro desaba em popularidade nas redes sociais


Popularidade do presidente Jair Bolsonaro despencou, segundo pesquisa da Quaest (Foto: Isac Nóbrega/PR)

Levantamento feito pela consultoria Quaest, divulgado nesta segunda-feira (13), revela que o presidente Jair Bolsonaro teve uma queda expressiva de popularidade nas redes sociais, depois que divulgou uma nota oficial em que recua das ameaças feitas ao Supremo Tribunal Federal (STF) nas manifestações bolsonaristas do dia 7 de setembro.

De acordo com o Índice de Popularidade Digital, medido pela Quaest, Jair Bolsonaro cresceu com os atos promovidos no Dia da Independência, tendo chegado ao seu segundo melhor patamar desde o início do ano, com 81,8 pontos.

Entretanto, logo no dia seguinte, o índice desabou para 62,4 e seguiu em queda livre para 53,7 na quinta-feira (9), dia da divulgação da carta redigida por Michel Temer, e 37,1 na sexta-feira (10), que é a sua pior marca em 2021.

Ainda de acordo com a análise da consultoria, os 40 dias que antecederam os atos bolsonaristas tiveram mais de 3 milhões de postagens com esse tema. Horas após a carta, no entanto, explicações começaram a aparecer de forma sistemática nos grupos virtuais bolsonaristas. As teses variavam entre a nota fazer parte de uma estratégia de Bolsonaro ou de um suposto acordo com o STF. ​

No levantamento feito pela Quaest, são monitoradas seis dimensões nas redes: fama (número de seguidores), engajamento (comentários e curtidas por postagem), mobilização (compartilhamento das postagens), valência (reações positivas e negativas às postagens), presença (número de redes sociais em que a pessoa está ativa) e interesse (volume de buscas no Google, YouTube e Wikipedia).

Toda Palavra_Banner_300x250_Celular.gif
1/3
NIT_728x90-03.gif
NIT_300x250-01.jpg