Bolsonaro desautoriza Mourão dar 'peruada' sobre Ucrânia


(Fotos Públicas)

O presidente Jair Bolsonaro (PL) desautorizou o vice, Hamilton Mourão (PRTB), por ter se manifestado sobre o conflito entre Rússia e Ucrânia. Mais cedo, o general afirmou que o Brasil não concorda com a invasão e "tem que haver uso da força e apoio à Ucrânia".

Durante uma live nesta quinta-feira (24), Bolsonaro disse que a competência para falar sobre assuntos desse tipo é do presidente, não do vice, mas não falou sobre o conflito.

“Deixar bem claro: o artigo 84 da Constituição diz que quem fala sobre esse assunto é o presidente. E o presidente chama-se Jair Messias Bolsonaro. E ponto final. Com todo respeito a essa pessoa que falou isso — e falou mesmo, eu vi as imagens — está falando algo que não deve. Não é de competência dela. É de competência nossa”, disse o presidente da República.

“Só para vocês terem uma ideia. Não é combinado, é acertado naturalmente. Quando é que eu falo qualquer coisa sobre esse problema Rússia e Ucrânia? Eu falo depois de ouvir o ministro Carlos França, das Relações Exteriores, e o da Defesa, Braga Netto. E ponto final. Se for o caso, convido mais algum ministro para a gente tomar uma decisão”, afirmou, e ainda completou: “Tudo que estiver ao nosso alcance faremos pela paz. Então, quem fala dessas questões chama-se Jair Messias Bolsonaro. E quem dúvida disso pode procurar o artigo 84. Mais ninguém fala. Quem está falando está dando peruada naquilo que não lhe compete.”

Os ataques à Ucrânia começaram na madrugada desta quinta-feira. Logo após autorizar o início das operações militares, o presidente russo, Vladimir Putin, fez um pronunciamento no qual disse que quem tentar interferir no conflito sofrerá consequências nunca vistas na história.

“Quem tentar interferir, ou ainda mais, criar ameaças para o nosso país e nosso povo, deve saber que a resposta da Rússia será imediata e levará a consequências como nunca antes experimentado na história”, disse o líder russo.

300x250px.gif
728x90px.gif