Bolsonaro diz que não vacinará filha de 11 anos

O presidente Jair Bolsonaro disse nesta segunda-feira (27/12) que espera que o Judiciário não interfira na vacinação de crianças de cinco a 11 anos. Os comentários foram feitos após ele ter ressaltado que sua filha Laura, de 11 anos, não será vacinada.

O presidente e a filha Laura / Foto: José Cruz / Agência Brasil

"Estamos conversando com o [ministro da Saúde, Marcelo] Queiroga nesse sentido. Ele, no dia 5, deve ditar as normas de como é que deve se vacinar crianças. Eu espero que não haja interferência do Judiciário. Espero, porque a minha filha não vai se vacinar. Ela tem 11 anos de idade", disse o presidente.


Bolsonaro afirmou que ainda há "muita dúvida" no mundo inteiro sobre o tema, apesar de diversos países já imunizarem essa faixa etária. "A questão da vacina para criança é muito incipiente ainda. O mundo ainda tem muita dúvida", comentou.


A imunização do público infantil é tema de uma consulta pública do Ministério da Saúde. A pasta deve realizar uma audiência sobre o assunto em 4 de janeiro e bater o martelo sobre a vacinação no dia seguinte.


Na entrevista, Bolsonaro voltou a falar que a vacinação de crianças "não se justifica", pois, segundo ele, o índice de mortes de crianças com a covid-19 não é grande.


"Não vêm morrendo crianças que justifique uma vacina nas crianças. Não justifica isso daí. A decisão passa obviamente pelo Ministério da Saúde", declarou, segundo informações do Metrópoles.


Países como Alemanha, Argentina, Canadá, Chile, França, Estados Unidos e Israel já aplicam vacinas nessa faixa etária.


Fonte: Agência Sputnik Brasil

300X350px_Negra.gif
1/3
NIT_728x90-03.gif
NIT_300x250-01.jpg
728X90px (2).gif