Bolsonaro iniciou e concluiu a construção de apenas 7 escolas


(Foto: Agência Brasil)

Um levantamento feito com base em dados do Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE) mostra que o governo federal, faltando poucos meses para a conclusão do mandato do presidente Jair Bolsonaro (PL), começou e concluiu a construção de apenas sete escolas em todo o país. E assim mesmo, o processo para a construção das sete escolas começou em 2019 e as obras só foram finalizadas porque as prefeituras não esperaram pelo governo federal e injetaram recursos próprios. As informações são do Estadão.

As obras são de responsabilidade do fundo bilionário, controlado pelo Centrão, e que vem sendo alvo de vários escândalos em função da destinação de recursos por meio do chamado orçamento secreto, utilizado pelo governo para cooptar o apoio de parlamentares no Congresso.

O levantamento, que constatou a conclusão de apenas sete obras, foi feito com base em dados do sistema interno do próprio FNDE. Ao todo, foram verificados os status de 460 projetos iniciados desde o início do governo Bolsonaro até a semana passa.

Como as sete obras foram concluídas com recursos municipais, as prefeituras esperam receber R$ 6,8 milhões do governo federal, o que não tem data prevista para acontecer. As escolas totalmente finalizadas são dos municípios de Dom Feliciano (RS), Protásio Alves (RS), Lebon Régis (SC), Amargosa (BA), Nova Itarana (BA e Lapão (BA), com duas.

Sob influência de políticos do Centrão, o FNDE, cujo orçamento 2022 é de R$ 42 bilhões, foi alvo de escândalos no governo Bolsonaro, como a compra de ônibus escolares acima do preço aceitável pela área técnica - diferença de R$ 732 milhões - e de pastores acusados de cobrar propina de prefeituras em troca de liberação de recursos do fundo. O então ministro da Educação, Milton Ribeiro, foi demitido do cargo após um áudio dele ter vazado no qual ele afirma que repassava verbas do FNDE para municípios indicados por dois pastores - e que fazia isso em atenção a um pedido do presidente Jair Bolsonaro.

Toda Palavra_Banner_300x250_Celular.gif
1/3
NIT_728x90-03.gif
NIT_300x250-01.jpg