Bolsonaro tenta intimidar ministros do STF com impeachment



O presidente Jair Bolsonaro afirmou neste sábado (14) que vai pedir instauração de processo contra ministros do Superior Tribunal Federal (STF) um dia após a prisão de Roberto Jefferson, seu aliado político. Bolsonaro publicou em sua conta no Twitter que pedirá ao Senado que instaure um processo contra os ministros Alexandre de Moraes e Luís Roberto Barroso, do STF.

A ação de Bolsonaro ocorre um dia após a prisão de seu aliado Roberto Jefferson, por ordem de Alexandre de Moraes após o ex-deputado e presidente nacional do PTB usar "milícias digitais" para promover "ataques sistemáticos" a instituições.

Em sua conta, Bolsonaro voltou a fazer ameaças de "ruptura institucional" e afirmou que os dois magistrados "extrapolam com atos os limites constitucionais".

"Todos sabem das consequências, internas e externas, de uma ruptura institucional, a qual não provocamos ou desejamos. De há muito, os ministros Alexandre de Moraes e Luís Roberto Barroso, do Supremo Tribunal Federal, extrapolam com atos os limites constitucionais", escreveu Bolsonaro, que é alvo de inquéritos no STF e no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) também por ataques a instituições e disseminação de fakenews (informações falsas) no caso das urnas eletrônicas - neste caso, Alexandre de Moraes decidiu, em 4 de agosto, atender ao pedido aprovado por unanimidade pelos ministros do TSE dois dias antes.

Bolsonaro ainda deixou claro que procurará o presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (DEM-MG), com pedido para instaurar o processo contra os ministros com base no artigo 52 da Constituição - instrumento jamais usado pelo Senado, que prevê que cabe ao Senado julgar crimes de responsabilidade de ministros do STF, que poderia significar a perda dos seus cargos.

Bolsonaro, que desde o início de seu governo faz ameaças ao STF e acena com um golpe contra a democracia, ainda disse que o povo brasileiro "não aceitará passivamente" que direitos e garantias fundamentais, como o da liberdade de expressão, continuem sendo violados e punidos com prisões arbitrárias, justamente por quem deveria defendê-los".

Reações de senadores

Senadores reagiram às declarações de Bolsonaro. O senador Randolfe Rodrigues (Rede-AP), vice-presidente da CPI da Covid, usou suas redes sociais para criticar Bolsonaro.

“Bolsonaro, vá trabalhar! Ao invés de arroubos autoritários, que serão repelidos pela democracia, vá pegar no serviço! Estamos com 14 milhões de desempregados, 19 milhões de famintos, preço absurdo da gasolina, da comida. E o povo continua morrendo de COVID-19! VAI TRABALHAR!", escreveu o senador.

O senador Humberto Costa (PT-PE), disse que Bolsonaro "tenta mais uma vez intimidar a Justiça".

Já o senador Alessandro Vieira (Cidadania-SE) afirmou que o pedido de impeachment contra os ministros "é só mais uma cortina de fumaça para tentar esconder o mar de crimes comuns e de responsabilidade que o próprio presidente cometeu".


300x250_QuatroRodas.gif
728x90_PorqueArCondicionado.gif