Bolsonaro usa pandemia para aprovar leis a favor de invasores e contra índios, diz Imazon


ONG estima destruição adicional de mais de 10 mil quilômetros quadrados das florestas (Agência Brasil)

O governo brasileiro está usando o surto da COVID-19 como uma distração para aprovar leis que oferecem anistia em terras invadidas e desmatadas e reduzir a proteção oferecida aos povos indígenas, declararam ativistas climáticos nesta quarta-feira (29).

De acordo com o projeto de denúncia da ONG Greenpeace, o Unearthed, os legisladores brasileiros devem votar novas medidas propostas pelo governo de Jair Bolsonaro que oferecerão uma anistia ao desmatamento anterior e a atual ocupação de terras florestais que foram invadidas antes de 2018. Além disso, existem planos para remover determinadas áreas de sua designação no registro de terras como indígenas. O projeto de denúncia da ONG declarou que isso poderia levar a novas apreensões de terras habitadas por povos indígenas. Os últimos desenvolvimentos ocorrem no contexto do aumento do desmatamento no Brasil. O projeto citou a agência de pesquisa espacial do país, o INPE, que afirmou que o desmatamento em março aumentou 30% em relação ao ano anterior. A organização não governamental Imazon estima que as novas leis possam levar à destruição adicional de mais de 10 mil quilômetros quadrados das florestas do Brasil até 2027, declarou o Unearthed. Bolsonaro foi criticado por ativistas e defensores ambientais por ignorar a questão de proteger o meio ambiente do país, especialmente a Floresta Amazônica.


Fonte: Sputnik Brasil

Toda Palavra_Banner_300x250_Celular.gif
1/3
NIT_728x90-03.gif
NIT_300x250-01.jpg