728x90_2.gif

Brasil tem recorde de quase 2 mil mortes por Covid


Relatório do Conselho Nacional de Secretários de Saúde (Conass) divulgado nesta quarta-feira (3) registra 1.910 mortes por Covid-19 nas últimas 24 horas, número muito acima do recorde registrado na terça, de 1.641 óbitos em todo o país.

Assim, pelo quinto dia consecutivo, a média de vidas perdidas se mantém crescente e há 42 dias, acima de 1.000. Os dados do Conass foram confirmados pelo Ministério da Saúde.

Com o novo recorde da pandemia, o Brasil chegou a 259.271 mil mortos e tem 10.718.630 milhões de pessoas infectadas com coronavírus. Foram 71.704 mil novos casos no último dia.

Este é o pior momento da pandemia no Brasil. De norte a sul do país, cidades e estados estão adotando novas medidas restritivas, que variam de lockdown a toque de recolher, incluindo fechamento de comércio e proibição de acesso a praias e a qualquer atividade não essencial.

Com número recorde de mortes e de casos notificados da doença, São Paulo anunciou nesta quarta-feira que o estado entrará na fase vermelha a partir de sábado. Apenas serviços essenciais serão permitidos funcionar. As restrições valerão, pelo menos, até o dia 19.

Rio e Niterói

A capital fluminense segue com classificação de risco alto para infecção de Covid-19 após o registro de três novos casos da variante do coronavírus de Manaus. De acordo com boletim da Fiocruz, a taxa de ocupação de leitos de UTI na cidade está em 88%. Até esta quarta, o prefeito do Rio, Eduardo Paes (DEM), não adotou nenhuma medida restritiva para atividades não essenciais.

Já em Niterói, o prefeito Axel Grael (PDT) estendeu até 30 de abril as medidas restritivas de isolamento social para conter a transmissão da Covid-19.

1/3