Brasil volta às ruas contra Jair Bolsonaro


Milhares de manifestantes voltaram às ruas nas capitais em em centenas de cidades no Brasil e no exterior, neste sábado (24), para protestar contra o presidente Jair Bolsonaro. Entre as reivindicações, estão o impeachment do presidente, celeridade no plano de vacinação e valor de R$ 600 de auxílio emergencial, que hoje varia entre R$150 e R$375. "Fora, Bolsonaro", “Vacina no braço” e “Comida no prato” ecoaram na manifestação por todo o Brasil, em meio a denúncias de corrupção na compra de vacinas.

No Rio, a Avenida Presidente Vargas foi tomada por manifestantes, com a grande maioria usando máscaras de proteção e mantendo o distanciamento para evitar a proliferação da covid-19 conforme recomendaram os organizadores.

A concentração teve início por volta das 10h, em frente ao monumento Zumbi dos Palmares e seguiu rumo à Praça da Candelária, ocupando as pistas da enorme avenida.

Os discursos pelo impeachment de Bolsonaro foram reachados de argumentos como as quase 550 mil mortes em decorrência da covid-19, a corrupção nas negociações de vacinas, os ataques aos direitos dos trabalhadores e as privatizações do patrimônio nacional.

O presidente da CUT-Rio, Sandro Cezar, reforçou que não há outro caminho para tirar Bolsonaro da presidência que não seja ocupando as ruas de todo o país e mandando recado para o presidente da Câmara dos Deputado, Arthur Lira (PP-AL), que engavetou mais de 120 pedidos de impeachment.

Na Avenida Paulista, os manifestantes ocuparam vários quarteirões, com concentração no vão do Masp e outros diversos grupos espalhados por ruas e avenidas paralelas.

Os atos contra o governo Bolsonaro se repetiram também em dezenas de cidades de diversos países.




300X350px_Negra.gif
1/3
NIT_728x90-03.gif
NIT_300x250-01.jpg
728X90px (2).gif