Butantan entrega últimos documentos da CoronaVac


(Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil)

O Instituto Butantan terminou de entregar na noite de sexta-feira (15) todos os documentos necessários para análise do pedido de uso emergencial da vacina CoronaVac pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa).

Está marcada para este domingo (17) a reunião de diretoria da agência que vai decidir sobre o pedido de uso emergencial para vacinas contra a Covid-19 no Brasil. Nessa reunião, a Anvisa vai decidir sobre a utilização emergencial de seis milhões de doses da CoronaVac importadas da China e da vacina de Oxford, desenvolvida pela farmacêutica AstraZeneca em parceria com a fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), no Brasil.

Segundo o Butantan, foram entregues as informações adicionais que ainda estavam pendentes desde quinta-feira (14). O Butantan fez a solicitação para o uso emergencial da CoronaVac em 8 de janeiro, juntamente com os resultados da terceira fase de testes do imunizante no Brasil, mas a Anvisa alegou que a documentação estava incompleta.

Conforme divulgado pelo Instituto Butantan, a eficácia global da CoronaVac nos testes no Brasil foi de 50,38%. O índice se refere à capacidade da vacina de proteger em todos os casos: leves, moderados ou graves, sendo que tem eficácia de 78% em casos moderados e de quase 100% nos casos graves da doença.

Nesta sexta-feira (15), o Ministério da Saúde enviou um ofício ao Instituto Butantan pedindo a "entrega imediata" das seis milhões de doses da CoronaVac. O órgão, entretanto, afirmou que só entregará se souber do plano de uso do governo federal. Um contrato assinado entre o ministério e a Fundação Butantan no dia 7 de janeiro, contudo, obrigaria o Butantan a entregar todas as doses importadas ou produzidas no Brasil pelo instituto.

Toda Palavra_Banner_300x250_Celular.gif
1/3
NIT_728x90-03.gif
NIT_300x250-01.jpg