Butantan entrega mais 2 milhões de doses da CoronaVac


(Pfizer)

O Instituto Butantan entregou nesta segunda-feira (10) mais 2 milhões de doses da vacina CoronaVac contra a Covid-19. Com este lote, o instituto totaliza 45,1 milhões de doses do imunizante desenvolvido em parceria com o laboratório chinês Sinovac disponibilizadas para o Programa Nacional de Imunizações. São Paulo deve ficar com 450 mil dessas doses. Ao mesmo tempo, o Ministério da Saúde começou a distribuir mais um lote com 1,12 milhão de doses da vacina da Pfizer/BioNTech, destinadas para a primeira aplicação em pessoas com comorbidades, gestantes e puérperas e pessoas com deficiência permanente.

O Ministério orienta que, neste momento, a vacinação com o imunizante da Pfizer seja realizada apenas nas 27 capitais. O objetivo é "evitar prejuízos na vacinação e garantir a aplicação da primeira e segunda doses com intervalo de 12 semanas entre uma e outra", segundo informa a pasta.

De acordo com a pasta, a logística de distribuição das vacinas da Pfizer foi montada levando em conta as condições de armazenamento do imunizante no Centro de Distribuição do Ministério da Saúde, em Guarulhos a uma temperatura de -90°C a -60°C. Ao serem enviadas aos estados, as vacinas estarão expostas à temperatura de -20°C. Nas salas de vacinação, onde a refrigeração é de +2 a +8°C, as doses precisam ser aplicadas em até cinco dias.

Já o Butatan tem previsão para liberar mais um milhão de doses na próxima quarta-feira (12), concluindo o primeiro contrato assinado com o Ministério da Saúde para fornecimento de 46 milhões de doses da vacina.

A estimativa inicial era de que esse total fosse disponibilizado até o final de abril. No entanto, a produção da CoronaVac tem sofrido atrasos devido à demora além do previsto para envio de matérias-primas pela China.

O Butantan tem ainda um segundo contrato com o Ministério da Saúde para o fornecimento de 54 milhões de doses da vacina até 30 de agosto.

O estado de São Paulo já imunizou completamente, com as duas doses de vacina contra o coronavírus, 4,7 milhões de pessoas, mais de 10% da população.

A vacinação contra a Covid-19 começou no país no dia 18 de janeiro. Até o momento, contando com esse novo lote, foram destinadas a todas as unidades da Federação aproximadamente 75,4 milhões de doses de imunizantes.

Rio vacina pessoas com comorbidade

A vacinação na cidade do Rio de Janeiro esta semana segue o escalonamento por gênero e idade, voltada para os grupos prioritários definidos pelo Programa Nacional de Imunização (PNI). Até sábado, serão vacinadas com a primeira dose pessoas com 47 anos.

Estão contemplados neste momento as pessoas com comorbidade e guardas municipais diretamente envolvidos nas ações de combate à Covid-19 e de vigilância das medidas de distanciamento social.

O calendário é o seguinte:

Segunda-feira (10): mulheres com 49 anos;

Terça-feira (11): homens com 49 anos;

Quarta-feira (12): mulheres com 48 anos;

Quinta-feira (13): homens com 48 anos;

Sexta-feira (14): mulheres com 47 anos;

Sábado (15): homens com 47 anos.

Gestantes e puérperas com comorbidade, pessoas com deficiência permanente, síndrome de Down e doença renal crônica a partir de 18 anos podem comparecer aos postos em qualquer dia para receber a primeira dose.

O calendário para trabalhadores da saúde avançou para profissionais com menos de 35 anos. Esse grupo contempla médicos, enfermeiros, nutricionistas, fisioterapeutas ocupacionais, biólogos, biomédicos, farmacêuticos, odontólogos, fonoaudiólogos, psicólogos, assistentes sociais, profissionais de educação física, médicos veterinários e seus respectivos técnicos e auxiliares.

Até o sábado passado (8), a cidade havia aplicado a primeira dose em 1.654.584 pessoas, o que corresponde a 24,5% da população.

Segunda dose da CoronaVac

Para quem tomou a primeira dose da CoronaVac na capital fluminense, a segunda será destinada nesta segunda-feira (10) e quarta-feira (12) aos idosos acamados e aqueles com mais de 66 anos. Na quinta-feira (13), devem completar o esquema vacinal os idosos de 65 e 64 anos. Na próxima segunda-feira (17) é a vez dos idosos de 63, 62 e 61 anos receberem a segunda dose.

As demais pessoas que receberam a primeira dose da CoronaVac - entre 5 e 9 de abril - devem comparecer aos postos dez dias após a data marcada em seus comprovantes para a segunda dose. Aqueles que receberam o imunizante entre 10 e 17 de abril devem tomar a segunda dose no dia 17 de maio. Segundo a prefeitura do Rio, não deve haver adiamento da segunda dose para quem recebeu a primeira após 17 de abril.


Com informações da Agência Brasil

Toda Palavra_Banner_300x250_Celular.gif
1/3
NIT_728x90-03.gif
NIT_300x250-01.jpg