Cafezinho brasileiro tem maior preço dos últimos 23 anos


(Reprodução)

O tradicional cafezinho brasileiro voltou a fazer história, agora pelo valor muito mais amargo. Nos últimos 12 meses, o preço do café moído e torrado subiu 56,87% para o consumidor. Segundo o IBGE, somente em janeiro deste ano, a alta foi de 4,75%. No último dia 9, o preço da saca bateu recorde dos últimos 23 anos. A previsão do mercado é de que o produto continue em alta em 2022. As informações são do Valor Econômico.

O preço da saca de 60 quilos da variedade arábica, líder do mercado nacional, teve recorde desde o início da série histórica iniciada em 1996 ao ser cotada, no dia 9, a R$ 1.555,19 - e segue próximo de R$ 1.500 -, segundo dados do Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada (Cepea). Trata-se, descontada a inflação, do maior valor desde dezembro de 1999. Ao final de fevereiro do ano passado, o valor era de R$ 746,50.

O setor alega que, em 2021, o café viveu um ano de bienalidade negativa - quando após um ano de produtividade alta, sofre uma queda, devido à necessidade de recomposição da planta. Diz que houve perdas em razão das secas e das geadas nas principais regiões produtoras, como Minas Gerais e São Paulo.

Na visão de especialistas, a tendência é de que o café continue em patamar elevado em 2022, pressionado pela demanda global e "oferta menor".

A previsão da Companhia Nacional de Abastecimento (Conab), contudo, é que o Brasil deve colher neste ano 55,7 milhões de sacas de café - quase 17% a mais do que no ano passado.

Toda Palavra_Banner_300x250_Celular.gif
1/3
NIT_728x90-03.gif
NIT_300x250-01.jpg