top of page

Calorão no país: temperaturas podem chegar em até 43 °C


(Foto: José Cruz/Agência Brasil)

Uma onda de calor começa a se instalar na maior parte do Brasil, com temperaturas que devem variar entre 3 °C e 5 °C acima do normal. Segundo meteorologistas, os termômetros devem ultrapassar os 40 °C em muitas cidades, podendo alcançar os 43 ºC em alguns locais no Centro-Oeste nos próximos dias.


Na região Norte, em alguns municípios, a temperatura pode chegar aos 40 °C com a nova onda de calor. O Nordeste deve variar na casa dos 35 °C, enquanto no Sudeste, 38 °C. No Sul, as temperaturas devem ser de 33 °C pelos próximos dias.


Rio de Janeiro e São Paulo devem registrar temperaturas 5 °C acima da média. Além das duas, Mato Grosso, Tocantins, Bahia, Distrito Federal, Goiás, Mato Grosso do Sul, Minas Gerais e Espírito Santo também figuram com a mesma alta nas previsões.


Este ano é "praticamente certo" de que será o mais quente em 125 mil anos, disseram cientistas da União Europeia nesta quarta-feira (8), depois que dados mostraram que o mês de outubro foi o mais quente do mundo nesse período.


O mês passado superou o recorde de temperatura de outubro de 2019 por uma margem de 0,4 °C, disse a vice-diretora do Serviço de Monitoramento das Mudanças Climáticas do Copernicus (C3S, na sigla em inglês), Samantha Burgess, da União Europeia, descrevendo a anomalia de temperatura de outubro como "muito extrema".


Samantha Burgess, vice-diretora do C3S, descreveu a anomalia de temperatura de outubro como "muito extrema". "O recorde foi quebrado em 0,4 °C, o que é uma margem enorme", detalhou.


De acordo com o C3S, o calor é o resultado das contínuas emissões de gases de efeito-estufa provenientes da atividade humana, combinadas com o aparecimento do padrão climático El Niño este ano, que aquece as águas superficiais no leste do oceano Pacífico.


Globalmente, a temperatura média do ar à superfície em outubro foi de 1,7 °C mais quente do que no mesmo mês de 1850 a 1900, que o serviço Copernicus define como período pré-industrial. Essa é a razão pela qual seria "praticamente certo" afirmar que 2023 superou o recorde de 2016, passando a ser o ano mais quente já registrado, afirmou o C3S em comunicado.


Temperatura média no Brasil

A temperatura média no Brasil atingiu nível recorde pelo quarto mês seguido em outubro. De acordo com o Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet), entre julho e outubro, a diferença entre o valor registrado e a média histórica – variação que é tecnicamente chamada de “desvio” – foi superior a 1 grau Celsius (°C).


De acordo com o levantamento do Inmet, no mês passado, a temperatura média observada no Brasil ficou em 26,4°C. O resultado foi 1,2°C acima da média histórica para o mês (25,2°C).


“Dentre os quatro meses consecutivos mais quentes deste ano, setembro apresentou o maior desvio desde 1961, com 1,6ºC acima da climatologia de 1991/2020 (média histórica)”, informou o Inmet. Naquele mês, a temperatura média registrada ficou em 25,8°C, enquanto a média histórica estava em 24,2°C.


Em agosto deste ano, a temperatura média ficou em 24,3°C – resultado 1,4°C acima da média histórica (22,9°C) e, em julho, a média observada (23°C) estava mais de 1°C acima da média histórica (21,9°C).


O Inmet acrescenta que esses meses “foram marcados por calor extremo em grande parte do país e eventos de onda de calor, reflexo dos impactos do fenômeno El Niño [aquecimento acima da média das águas do Oceano Pacífico Equatorial], que tende a favorecer o aumento da temperatura em várias regiões do planeta”.


O aumento da temperatura global da superfície terrestre e dos oceanos também contribui para eventos cada vez mais extremos.


“O cenário indica que o ano de 2023 será o mais quente desde a década de 60. Estes resultados corroboram com as perspectivas encontradas por outros órgãos de meteorologia internacional, pois, segundo pesquisadores do Serviço de Mudanças Climáticas Copernicus da União Europeia, é improvável que os dois últimos meses deste ano revertam este recorde, tendo em vista que a tendência é de altas temperaturas em todo o mundo até novembro”, acrescentou o Inmet.


Alerta de calor

O calor deve continuar nos próximos dias. Diante da situação, o Inmet emitiu um alerta no qual prevê uma nova “onda de calor” que atingirá especialmente o interior do Brasil.


“O aviso meteorológico especial de nível amarelo (perigo potencial) de onda de calor abrange áreas do Centro-Oeste e Sudeste do País e é válido até, pelo menos, a próxima sexta-feira (10)”, detalhou, em nota, o instituto ao explicar que o nível amarelo “é emitido quando a previsão indica que as temperaturas devem ficar 5ºC acima da média pelo período de dois a três dias consecutivos”.


O Inmet acrescenta que a expectativa é que o “forte calor” continue, pelo menos, até meados da próxima semana. Contudo, a área de abrangência do fenômeno deve sofrer alterações.


Com informações da Agência Brasil e Agência Sputnik

Commenti


Divulgação venda livro darcy.png
Chamada Sons da Rússia5.jpg
bottom of page