Câmara aprova reajuste de 8% para servidores municipais

Em sessão ordinária nesta quarta-feira (20/7), a Câmara Municipal de Niterói aprovou a Mensagem Executiva do prefeito Axel Grael para reajuste de 8% no salário dos servidores municipais. Depois de aprovada em primeira discussão, a matéria foi ratificada na segunda por 12 votos a favor, dois contra e três abstenções.


Os pareceres das Comissões de Justiça e Constituição, e de Orçamento e Finanças foram favoráveis ao projeto, mas contrários às emendas propostas pelos profissionais de educação de reposição das perdas salarias e aumento de benefícios.


Como votaram os parlamentares:


Em primeira discussão:


Sim: Andrigo (PDT), Atratino (MDB), Casota (PSDB), Dado (Cidadania) , Dr. Nazar (MDB), Fabiano Gonçalves (Cidadania), Emanuel Rocha (Solidariedade), Folha (PSD), Jhonatan Anjos (PDT), Leandro Portugal (PV), Paulo Velasco (Avante), Renato Carrielo (PDT) e Marcos Sabino (PDT);


Não: Benny Briolly (Psol), Douglas Gomes (PL), Daniel Marques (União), Paulo Eduardo Gomes (Psol), Verônica Lima (PT) e Professor Tulio (Psol);


Em segunda discussão:


Sim: Andrigo (PDT), Atratino (MDB), Casota (PSDB), Dado (Cidadania), Dr. Nazar (MDB), Fabiano Gonçalves (Cidadania), Emanuel Rocha (Solidariedade), Jhonatan Anjos (PDT), Leandro Portugal (PV), Paulo Velasco (Avante), Renato Carrielo (PDT) e Marcos Sabino (PDT);


Não: Douglas Gomes (PL) e Daniel Marques (União);


Abstenção: Verônica Lima (PT), Benny Briolly, Paulo Eduardo Gomes e Professor Tulio (Bancada Psol).

Ausências: O vereador Leonardo Giordano (PCdoB) não participou das duas discussões, e o vereador Folha (PSD) esteve ausente na segunda.

Reprodução / Redes Sociais / Sepe-Niterói

Aumento desagrada profissionais de educação


Durante a votação, os servidores da edução lotaram a casa legislativa e se vestiram de preto em protesto ao percentual do reajuste decidido pela prefeitura. A categoria representada pelo Sepe-Niterói (Sindicato Estadual dos Profissionais da Educação do RJ - Núcleo Niterói), reivindica a reposição de perdas inflacionárias, que é 11,73% com base no IPCA, além de reajuste complementar específico, para que se cumpra o Piso Nacional da Educação de 28,9%, aprovado pelo Congresso Nacional.


Os profissionais de educação reivindicam ainda o reajuste do auxílio transporte e abono-refeição para todos, a ser pago por modalidade específica da Moeda Social Araribóia.


Com a retirada das emendas, o Sepe-Niterói se manifestou em nota nas redes sociais e anunciou uma assembleia no primeiro dia do ano letivo para avaliar a realização de uma greve da categoria por tempo indeterminado.


"A luta não acabou. Como o Piso Nacional da Educação é lei e nosso direito, o Governo tem que fazer Mensagem Executiva de reajuste específico da Educação!", diz a nota.



300X350px_Negra.gif
1/3
NIT_728x90-03.gif
NIT_300x250-01.jpg
728X90px (2).gif