Câmara de Niterói questiona governo federal sobre cortes na UFF


Vereador Binho Guimarães (PDT), presidente da Comissão de Educação da Câmara / Foto: Sergio Bonelli

A Comissão de Educação da Câmara de Niterói encaminhou ofício ao Ministério da Educação nesta quinta-feira (27/5) solicitando esclarecimentos sobre o corte orçamentário nas universidades públicas, em especial na Universidade Federal Fluminense (UFF).


Em audiência pública na última segunda-feira (24/5), o reitor da UFF, Antônio Cláudio, esclareceu que o valor liberado atualmente à universidade é de R$ R$ 142,9 milhões, o que representa 81,2% do montante destinado em 2020.


Esse corte no orçamento ameaça a interrupção de boa parte dos serviços prestados pela UFF, além de comprometer o pagamento de contratos essenciais de energia, água, limpeza e manutenções básicas, sem os quais a universidade não pode funcionar.


De acordo com o o vereador Binho Guimarães (PDT), presidente da Comissão de Educação da Câmara, o poder social da educação precisa ser prioridade nacional, dentro de um projeto de Estado, independentemente de governos que neguem sua importância.


"A pandemia apenas comprovou que ciência, educação e tecnologia são as armas do futuro. Agora mais do que nunca”, afirmou.


Importância da UFF para Niterói


Fundamental para a economia de Niterói e maior universidade do país em número de estudantes — são mais de 46 mil — a UFF tem um complexo de atividades que transcendem a atividade acadêmica.


Integram sua estrutura o Hospital de média e alta complexidade (HUAP); o Hospital Veterinário; a Maternidade Escola (Oriximiná); a Farmácia Universitária; as Escolas de Educação Infantil, Fundamental e Médio; o Centro De Artes (Cinema, Teatro, Galeria De Artes, Orquestra Sinfônica, Quarteto De Cordas, Grupo de Música Antiga); além de editora, livraria, bibliotecas, quadras esportivas e piscinas.


A UFF tem uma significativa responsabilidade social, com mais de 5 mil estudantes beneficiários de bolsas/auxílios ou participantes de programas assistenciais. Possui ainda três restaurantes universitários e duas moradias estudantis, essenciais para alunos em situação de vulnerabilidade.

300x250px.gif
728x90px.gif