Candidatos da Universal já omitem Bolsonaro em suas campanhas


(Reprodução)

Material de campanha de alguns candidatos importantes ligados à Igreja Universal foi impresso com cargos em branco, o que mostra desconfiança desses políticos em associar desde já suas imagens a do atual presidente Jair Bolsonaro (PL) ante às pesquisas eleitorais indicando uma consolidação de vitória do ex-presidente Lula (PT) ainda no primeiro turno, a nove dias das eleições.


Segundo a Folha de S. Paulo, a deputada estadual Edna Macedo e candida à reeleição e o candidato a deputado federal bispo Marcos Pereira, são alguns desses puxadores de voto da Universal que preferiram deixar em branco os cargos de senador, governador e presidente. A deputada estadual por São Paulo é irmã do bispo Edir Macedo, enquanto que Marcos Pereira ocupa o cargo de presidente do partido Republicanos, considerado o partido da Igreja Universal.


Em seu perfil no Instagram, Edna destacou e promoveu em sua campanha, além das candidaturas dela mesma e de Pereira, apenas o nome de Tarcísio de Freitas, ex-ministro de Bolsonaro que concorre ao Governo de São Paulo pelo Republicanos. O bispo também tem omitido Jair Bolsonaro nas redes. A última associação ao presidente nas redes sociais do candidato ocorreu há dois meses. Outros candidatos da Igreja também omitiram Bolsonaro, como o bispo Gilberto Abramo, da Universal de Minas Gerais, candidato a uma vaga de deputado federal.


Apesar da declaração de Macedo na semana passada - "continuo com Bolsonaro e Tarcísio" -, até o momento os aliados seguem a ordem dada pelo Partido Liberal, presidido por Waldemar da Costa Neto, ex-preso da Lava Jato: os filiados do PL estão autorizados a apoiarem qualquer candidato à Presidência e a Governador.

300x250_QuatroRodas.gif
728x90_PorqueArCondicionado.gif
Toda Palavra 076 - p 4-5.jpg

Leia a versão digital da edição impressa do TP