Carro-bomba explode prefeitura na Colômbia


Prédio administrativo da prefeitura de Argelia destruído pela explosão (Reprodução)

Em novo atentado em menos um mês, um carro-bomba explodiu na madrugada desta segunda-feira (2) em um ataque contra a prefeitura do município colombiano de Argelia, no sudoeste da Colômbia. Segundo as autoridades, uma mulher ficou ferida.

"Rejeição total ao ataque ao gabinete do prefeito municipal neste momento, no qual a segurança ficou levemente ferida e o prédio foi destruído. Chega de guerra em nosso território", disse o prefeito da Argelia, Jhonnatan Patiño, no Twitter.

A mulher ferida era a vigia do local e se encontra fora de perigo, segundo a mídia local.

Após o ataque, o presidente Iván Duque convocou um Conselho de Segurança Extraordinário.

"Diante do miserável atentado terrorista na Argelia, Cauca, que deixou uma pessoa ferida e destruiu a prefeitura do município, hoje será realizado um Conselho Extraordinário de Segurança com o Ministério da Defesa e nossa Força Pública. Encontraremos o paradeiro dos responsáveis", disse Duque.

A Procuradoria-Geral da República também se manifestou contra o ataque e pediu ao Governo de Cauca "que apoie a busca, o julgamento dos responsáveis e a proteção da população".

A Casa de Cultura municipal também foi atingida pela explosão, que deixou várias pessoas atordoadas e danificou vários quarteirões.

No último dia 19 de abril, uma motocicleta carregada de explosivos detonou em outra área do município argelino fora de um hotel.

No fim de semana, várias pessoas foram mortas no departamento de Cauca, região assolada pela violência.

Narcotráfico e mineração ilegal

O secretário do Governo de Cauca, Luis Cornélio Angulo, entrevistado pela Blu Radio, disse que até o momento os responsáveis ​​e o motivo do ataque são desconhecidos, embora tenha explicado que o prefeito está ameaçado.

Angulo comentou que nos últimos três anos o conflito entre os diferentes grupos armados se agravou, devido à "falta de uma presença institucional que garanta a vida no território" e à presença "sistemática e permanente" de atividades relacionadas ao narcotráfico e mineração ilegal.

Na região, disse ele, “há também uma ação sistemática” de duas frentes dos extintos dissidentes das FARC – conhecidos como Carlos Patiño e Segunda Marquetalia – e o Exército de Libertação Nacional (ELN). "Eles estão em constante confronto e qualquer um desses grupos tem capacidade de afetar não só o prédio da administração municipal", explicou.


Com informações da Sputnik e RT

Toda Palavra_Banner_300x250_Celular.gif
1/3
NIT_728x90-03.gif
NIT_300x250-01.jpg