Caso Henry: laudo de perícia é decisivo para Dr. Jairinho


Monique, mãe de Henry, e o vereador Dr. Jairinho, o padrasto, podem ser indiciados (Reprodução)

O laudo da reprodução simulada realizada nesta quinta-feira (1º) no apartamento onde o menino Henry Borel Medeiros, de 4 anos, morava com a mãe e o padrasto deve ser entregue em até 15 dias pelos Peritos do Instituto Criminalística Carlos Éboli (ICCE), do Rio de Janeiro.

Assim que o delegado Henrique Damasceno, titular da 16ª DP (Barra da Tijuca), receber o material, poderá finalizar o inquérito do caso Henry. Desse modo, a perícia provavelmente irá embasar a decisão do delegado sobre o destino da mãe do menino, Monique Medeiros da Costa Almeira, e do padrasto, o vereador Jairo Souza Santos, o Dr. Jairinho (Solidariedade) .

A conclusão da chamada reconstituição deve definir se a polícia aceita a tese de que a morte do menino foi causada por um acidente doméstico ou se Henry foi alvo de um crime, fazendo com que o casal – que estava no apartamento na noite do ocorrido – seja indiciado. Os investigadores também aguardam a análise das mensagens dos celulares de Monique e Dr. Jairinho, que teriam sido apagadas na noite da morte de Henry.

O primeiro reconhecimento no apartamento onde o menino morava com a mãe e o vereador foi feito no dia 29 de março. A polícia retornou ao local nesta quinta-feira (1º) e realizou a reprodução simulada , a qual o casal não compareceu.

Na ocasião, um boneco com as mesmas características de Henry foi usado, como peso e altura. Os agentes analisaram, por exemplo, em qual posição o menino foi encontrado desacordado, a altura da cama em que a criança estava e outras informações que possam ajudar a esclarecer detalhes do possível acidente.

Ligação para o governador em exercício

Na mesma noite da morte de Henry, antes do caso chegar ao noticiário, o vereador Dr. Jairinho ligou para o governador em exercício do Rio de Janeiro, Claudio Castro, para contar o ocorrido. No telefonema, segundo o Globo, Castro teria dito que não se envolveria no assunto. Em nota, ele admitiu que recebeu a ligação e afirmou que "limitou-se a explicar ao vereador que o assunto seria tratado pela delegacia responsável pelo inquérito e encerrou a ligação".

"O governador Cláudio Castro confirma que recebeu uma ligação do vereador Doutor Jairinho horas antes de o caso envolvendo o menino Henry ganhar repercussão na mídia. No telefonema, ao saber do fato, Castro limitou-se a explicar ao vereador que o assunto seria tratado pela delegacia responsável pelo inquérito e encerrou a ligação. O governador em exercício reitera que sempre garantiu total autonomia à Polícia Civil e que não interfere em investigações", diz a nota enviada pelo Governo do Estado.

300X350px_Negra.gif
1/3
NIT_728x90-03.gif
NIT_300x250-01.jpg
728X90px (2).gif