top of page
banners dengue balde niteroi 728x90 29 2 24.jpg

Castro vai ao MIT buscar parcerias para energia fluminense

Para discutir soluções eficientes e impulsionar o potencial energético do Estado do Rio de Janeiro, o governador Cláudio Castro se reuniu, nesta quarta-feira (30/8), com diretores do Instituto de Tecnologia de Massachusetts (MIT), considerada uma das melhores instituições do mundo na área. O aperfeiçoamento e a criação de novos projetos que reduzam a emissão de gases de efeito estufa, garantam a segurança energética e ajudem no crescimento econômico fluminense foram o tema da conversa.

Foto: Rogério Santana / Governo do Estado do Rio

O Governo do Estado está desenvolvendo programas e ações para tornar o Rio de Janeiro referência na transição energética. Hoje, a matriz fluminense está dividida em Térmica (62,6%), Nuclear (17,8%), Hidrelétrica (11,6%), Solar (7,7%) e Eólica (0,2%). O estado também é o maior produtor nacional de gás natural (70%) e de petróleo (85%), além de se destacar no Brasil na geração de biogás (197 milhões de m3/ano) e de biometano (28,6 milhões de m3/ano).


"Tenho viajado aqui, para os Estados Unidos, e para a Europa em busca de parcerias para tratar de fontes alternativas de energia e elaboração de projetos de eficiência energética. Temos importantes matrizes em desenvolvimento, como a solar. São 97,4 mil conexões operacionais de energia solar em telhados, fachadas e pequenos terrenos, com R$ 4,4 bilhões investidos. O Rio conta também com o maior investimento privado da América Latina: o Porto do Açu, que já possui projetos em hidrogênio verde, e é considerado como porta de entrada para os investimentos no país", explicou o governador.


Durante o encontro com o diretor do MIT Energy Initiative, Robert Stoner, e o diretor-executivo do Future Energy Systems Center, Randall Field, foram apresentadas metodologias que podem ser compartilhadas com o governo estadual. A meta é que alguns dos 90 programas da universidade norte-americana possam contribuir para o desenvolvimento urbano do Rio.


"Podemos aprender uns com os outros. Os projetos que foram apresentados pelo Governo do Rio nos impressionaram. Há grandes oportunidades no setor energético, o que é fundamental para o crescimento econômico. Nós, do MIT, ajudamos companhias e órgãos públicos a enfrentarem os desafios do setor, com foco em transporte e indústrias, e teremos o prazer de trocar informações com o Governo do Rio", disse Stoner.


O secretário de Energia e Economia do Mar, Hugo Leal, destacou o protagonismo do Rio, no Brasil, na geração de energia nuclear. Juntas, as usinas de Angra 1 e 2 possuem potência instalada de 1,9 GW. Em breve, será instalada Angra 3, que terá 1,4 GW e previsão para início de operação no segundo semestre de 2029.


"Tudo que discutimos na reunião com os diretores do Instituto de Tecnologia de Massachusetts vai de encontro com as nossas metas e ideias. Acho que, no futuro, podemos ampliar o diálogo com o MIT, que já recebeu o Prêmio Nobel e tem um dos melhores programas de inovação do mundo energético", ressaltou.


Os secretários de Governo, Bernardo Rossi, e do Gabinete do Governador, Rodrigo Abel, e o subsecretário de Comunicação Social, Igor Marques, além da deputada Laura Carneiro, também participaram da reunião.


Fonte: Núcleo de Imprensa do Governo do Estado do Rio de Janeiro

Chamada Sons da Rússia5.jpg
banners dengue balde niteroi 300x250 29 2 24.jpg
Divulgação venda livro darcy.png
bottom of page