Chile despreza ameaça americana e adere à rede 5G


(Sputnik/Mikhail Voskresensky)

A ameaça dos EUA sobre "consequências" para países que aderirem à tecnologia 5G da gigante chinesa Huawei, não foi empecilho para o governo do Chile. O presidente chileno, Sebastián Piñera, anunciou em sessão pública diante de autoridades de seu país que a partir de deste sábado (1º) o Chile estará instalando a tecnologia 5G em todo seu território.

De acordo com Piñera, a tecnologia dará "inesperados avanços em matéria de cidades inteligentes" ao seu país.

"Quero informar a todos meus compatriotas que amanhã (sábado) iniciaremos o processo de incorporar o Chile à tecnologia 5G. Ela nos permitirá ser os pioneiros na América Latina e dar um grande salto avante na integração plena do Chile à Sociedade Digital", publicou o canal TVU, citando o mandatário.

O implemento da tecnologia no Chile deverá receber o investimento de US$ 3 bilhões (cerca de R$ 15,6 bilhões) nos próximos cinco anos.

Além disso, Piñera afirmou que a velocidade de navegação no Chile se tornará dez vezes mais rápida, enquanto o país terá "100 vezes mais capacidade que as atuais redes 4G".

A tecnologia também poderá modernizar o Estado chileno, a telemedicina, assim como a produção e distribuição de bens e serviços.

Guerra do 5G

Enquanto países como o Chile, Noruega e Suécia anunciam o uso da nova tecnologia, outros temem aderir aos serviços da empresa chinesa Huawei, em meio às tensões entre Pequim e Washington.

O governo americano tem demonstrado receio sobre a participação de empresas chinesas nas redes 5G de diferentes países, ao passo que ameaça governos, como o Brasil, de "consequências" caso cooperem com a China no setor.


Com a Sputinik

300X350px_Negra.gif
1/3
NIT_728x90-03.gif
NIT_300x250-01.jpg
728X90px (2).gif