Ciclone bomba chega ao Rio de Janeiro


Rajadas de ventos em torno de 100 km por hora, por conta dos reflexos de ciclone extratropical, conhecido como "ciclone bomba", causou estragos e deixou 10 mortos no Sul do país. Os reflexos de ciclone causam ventos fortes também no Rio de Janeiro, em Santa Catarina e São Paulo nesta quarta-feira (1o). No Rio, a ventania derrubou árvores na madrugada. A previsão é de ventos de até 76 km/h na capital e ressaca com ondas que devem atingir os 3,5 metros, segundo o Centro de Operações Rio.

Em Santa Catarina, um dos estados mais afetados pelo fenômeno nesta terça-feira, ocorreram fortes temporais, provocando a morte de nove pessoas e deixando estragos em todas as regiões. Ventos que chegaram a 120 km/h derrubaram árvores e destelharam casas, de acordo com a Defesa Civil catarinense.

No Rio Grande do Sul, atividades portuárias foram interrompidas devido à previsão de ventos de até 120 km/h e um homem morreu soterrado nos estragos provocados pelo temporal.

Em Curitiba, os ventos chegaram a quase 100 km/h, derrubando árvores e deixando milhares de famílias sem energia elétrica.

Em São Paulo, o ciclone bomba provocou uma frente fria e rajadas de vento de mais de 50 km/h na capital.


Segundo meteorologistas, a previsão da taxa de intensificação desse ciclone extratropical no Litoral do Sul do Brasil o classifica como um ciclone bomba, porque é um ciclone em que a pressão tem uma queda rápida e isso acaba formando ventos intensos.

1/3
300x250px - para veicular a partir do di

 Conheça a nova Scooter Elétrica

Não precisa de CNH, sem placa e sem IPVA

Leia também: