CNE aprova ensino remoto até 2021 sem reprovação


Ensino remoto deve ser mantido em 2021 e reprovação deve ficar a critério das escolas (Agência Brasil)

O Conselho Nacional de Educação (CNE) aprovou nesta terça-feira (6) a continuidade do ensino remoto até dezembro de 2021, caso seja opção dos estabelecimentos de ensino.

As aulas presenciais no Brasil foram suspensas a partir de março para conter a disseminação do coronavírus. Atualmente, elas voltaram em apenas algumas cidades e estados do país.

Além disso, o colegiado recomendou que as escolas não reprovem os estudantes neste ano. O texto ainda precisa ser homologado pelo Ministério da Educação (MEC) e vale para educação pública e privada.

Fusão dos anos escolares

Umas das soluções propostas pelo CNE é uma fusão dos anos escolares, ou seja, os estudantes concluiriam no próximo ano o conteúdo que faltou de 2020. São Paulo e Espírito Santo anunciaram que vão adotar a medida.

"O reordenamento curricular do que restar do ano letivo de 2020 e o do ano letivo seguinte, pode ser reprogramado, aumentando-se os dias letivos e a carga horária do ano letivo de 2021 para cumprir, de modo contínuo, os objetivos de aprendizagem e desenvolvimento previstos no ano letivo anterior", diz o texto do relatório do CNE, de acordo com o jornal O Globo.

Sobre o ensino remoto, a permissão para que seja feito até dezembro do ano que vem não é uma exigência, mas uma permissão para que os estabelecimentos possam diversificar o currículo. A adoção do método, que poderia ser concomitante às aulas presenciais, ficará a cargo das instituições de ensino.

300X350px_Negra.gif
1/3
NIT_728x90-03.gif
NIT_300x250-01.jpg
728X90px (2).gif