Consórcio adia entrega de 3 milhões de doses de Oxford


(Foto: Divulgação)

A chegada de três milhões de doses da vacina de Oxford/AstraZeneca no Brasil será adiada para o segundo semestre de 2021, informou o consórcio internacional COVAX Facility em documento publicado nesta quarta-feira (3).

A estimativa agora é que o país receba apenas 1,6 milhão de doses no primeiro trimestre e seis milhões nos três meses seguintes, entre abril e junho. Até então, a previsão era de que o Brasil recebesse 10.672.800 de doses até o meio do ano.

A COVAX Facility, programa mundial para impulsionar o desenvolvimento de vacinas contra a Covid-19, ressaltou que não estão descartados novos cortes ou adiamento de prazos.

No último sábado (30), o Ministério da Saúde do país anunciou que esperava receber entre dez e 14 milhões de doses do imunizante da Oxford/AstraZeneca.

Para ser distribuído pelo consórcio, porém, o produto precisa de autorização do departamento de vacinas da Organização Mundial da Saúde (OMS), algo que só deverá ocorrer com a AstraZeneca a partir da segunda metade de fevereiro, de acordo com o balanço mais recente da entidade.

A chegada dos imunizantes depende ainda de exigências burocráticas envolvendo a transferência do consórcio para os países envolvidos, da capacidade de produção e da oferta de transporte. As vacinas que a COVAX enviará ao Brasil virão da Coreia do Sul.


Fonte: Agência Sputnik

300X350px_Negra.gif
1/3
NIT_728x90-03.gif
NIT_300x250-01.jpg
728X90px (2).gif