Covid acelerada: STF recomenda uso de máscara na Corte


(Foto: Nelson Junior/STF)

O Supremo Tribunal Federal (STF) voltou a recomendar nesta quarta-feira (1º) o uso de máscaras nas dependências da Corte, em Brasília. A medida foi tomada em função do aumento do número de casos da covid-19 registrados nos últimos dias no Distrito Federal.

A medida tem vigência até o dia 22 de junho, podendo ser prorrogada em função da evolução dos números da pandemia. A portaria publicada nesta quarta-feira recomenda o “uso de máscaras de proteção facial, bem ajustadas e cobrindo boca e nariz, imprescindivelmente em ambientes de uso coletivo e nos veículos de transporte de passageiros”.

"Ainda que não haja qualquer determinação para a obrigatoriedade da prática, este momento requer atenção e bom senso. Além da máscara, outros cuidados permanecem altamente recomendados, como usar álcool em gel, a vacinação, em especial de terceira dose, evitar as aglomerações e, se puder, respeitar o distanciamento”, recomenda o STF, em nota.

A taxa de transmissão da covid-19 em Brasília acelerou ao longo do mês de maio, segundo dados da Secretaria de Saúde do DF (SES-DF). Essa taxa, que era de 0,92 em 2 de maio, chegou a 1,50 em 31 de maio.

Quando a taxa de transmissão fica acima de 1, significa que cada contaminado transmite a doença para mais de uma pessoa, provocando um aumento no número de casos simultâneos. Ontem (31), o DF informou a detecção de 2.142 casos em 24 horas. Segundo o governo, há no momento 9.978 com casos ativos na capital do país.

Desde o início da pandemia, o DF registra 710.694 casos e 11.691 mortes em decorrência da covid-19, segundo dados atualizados na noite de segunda-feira (31) pela SES-DF.

SP: máscara em locais fechados

O Comitê Científico do Estado de São Paulo recomendou a volta do uso de máscaras em estabelecimentos fechados. A medida não é obrigatória, exceto em ambientes hospitalares e no transporte público, onde o uso do item de proteção é indispensável.

Desde o início de maio, vem crescendo no estado o número de internações causadas por infecções pelo novo coronavírus. No primeiro dia do mês, a média móvel de internações diárias estava em 170 por dia e ontem (31) chegou a 404. Em abril, a média era de 146 internações a cada dia, o menor número apresentado desde o início da pandemia de covid-19.

Desde fevereiro, o número vinha caindo de forma constante, mas, no mês de maio, inverteu-se a tendência de queda.

O pico de internações foi na segunda onda da pandemia, em março do ano passado, quando a média era de 3.381 internações por dia, e o Brasil iniciava a vacinação contra a covid-19. Neste ano, o pico foi em janeiro, com média de 1.521 internações a cada dia.

Segundo a Secretaria Estadual da Saúde de São Paulo, o estado tem cerca de 2,7 milhões de pessoas que ainda não tomaram a segunda dose da vacina contra a covid-19, a maior parte deles (1,2 milhão), crianças e jovens entre 5 e 17 anos.

Há também no estado 10 milhões de pessoas elegíveis para tomar a dose adicional e 3,3 milhões aptas a receber a quarta aplicação de imunizante que ainda não procuraram uma unidade de saúde.

Ganhe_Ate_300x250px.gif
1/3
NIT_728x90-03.gif
NIT_300x250-01.jpg
Aumentou_728x90px.gif