Crise no STF: Mello condena 'hipocrisia' de Fux


O ministro Marco Aurélio Mello, do Supremo Tribunal Federal (STF), que concedeu um habeas corpus para soltar o traficante 'André do Rap' e teve sua decisão contrariada pelo ministro Luiz Fux, presidente da Corte, disse que Fux "assumiu postura de censor" e "adentrou o campo da hipocrisia". Mello disse ainda que a atitude de Fux enfraquece o Supremo.

Em entrevista neste domingo (11) à Folha de S. Paulo, Mello afirmou que a ação de Fux "é um horror". "Sob minha ótica ele adentrou o campo da hipocrisia, jogando para turma, dando circo ao público, que quer vísceras. Pelo público nós nem julgaríamos, condenaríamos e estabeleceríamos pena de morte", declarou.

Ao ser perguntado sobre a fuga de 'André do Rap', Marco Aurélio ironizou: “quem sabe seja o caso de suspender o meu contracheque? Se eu começar a distinguir onde a lei não distingue, a babel estará instalada e eu passarei a ser um justiceiro. Eu não tenho esse poder. Eu não admito na minha vida de juiz uma autofagia".

Mais cedo, falando para a CNN, Mello disse que Fux assumiu a postura de censor e pontuou: "Isso é perigosíssimo. Eu não sou superior a ele, mas também não sou inferior”, falou. “Atuo segundo o direito posto pelo Congresso Nacional e nada mais. Evidentemente não poderia olhar a capa do processo e aí adotar um critério estranho a um critério legal por se tratar deste ou daquele cidadão”.

André Oliveira Macedo, conhecido como André do Rap, um dos chefes do Primeiro Comando da Capital (PCC), facção criminosa que atua dentro e fora dos presídios de São Paulo, agora está foragido e a polícia tenta prendê-lo novamente.

300X350px_Negra.gif
1/3
NIT_728x90-03.gif
NIT_300x250-01.jpg
728X90px (2).gif