Da tampa de isopor ao 1º ouro olímpico no surfe


Ítalo Ferreira, primeiro campeão olímpico no surfe começou a praticar na tampa de isopor (Foto: Jonne Roriz/COB)

Primeiro campeão olímpico no surfe, o brasileiro Ítalo Ferreira completou uma jornada incrível na modalidade, desde que começou a surfar na tampa de isopor do pai no Rio Grande do Norte até a conquista da medalha de ouro nos Jogos de Tóquio.

O brasileiro dominou as ondas na Praia de Tsurigasaki, onde ocorreram as disputas do surfe na Olimpíada de Tóquio (Japão). O potiguar conquistou na madrugada desta terça-feira (27) a primeira medalha de ouro do surfe, modalidade estreante nos Jogos Olímpicos. Atual campeão mundial, Ítalo dominou a final contra o japonês Kanoa Igarashi, que havia eliminado o outro brasileiro, Gabriel Medina, nas semifinais, vencendo por 15.14 a 6.6. A medalha de bronze ficou com o australiano Owen Wright, que venceu Medina por 11.97 a 11.77 na disputa pelo pódio.

"Muito feliz. Foi um dia incrível, especial, trabalhei muito para isso e acreditei. É incrível.", disse Ítalo ao site do Comitê Olímpico Brasileiro (COB)

Na estreia da competição, Ítalo liderou a primeira bateria, com o somatório de pontos de 13.67. Com esta pontuação, ele ficou à frente do japonês Hiroto Ohhara (11.40), do italiano Leonardo Fioravanti (9.43) e do argentino Lele Usuna (8.27).

Classificado para as oitavas de final, o brasileiro derrotou o neozelandês Billy Stairmand por 14.54 a 9.67. Nas quartas, ele voltou a encarar o japonês Hiroto Ohhara, que esteve presente na bateria inicial. Ítalo mais uma vez levou vantagem, e derrotou o oponente por 16.3 a 11.9.

Na tampa do isopor do pai

O atleta de 27 anos se interessou pelo surfe pequeno, na cidade litorânea de Baía Formosa (RN), onde cresceu, começando a pegar ondas na tampa de isopor do pai pescador e progredindo para pranchas emprestadas de seus primos antes de ser descoberto aos 12 anos.

"Acho que tenho uma grande história. Comecei a surfar, aos 8 anos, em uma tampa de isopor. Depois disso, tive minha primeira prancha e venci meu primeiro campeonato. Tenho muita paixão pelo esporte e comecei para fazer história", disse Ítalo Ferreira em entrevista coletiva.

Os treinos no quintal de casa lhe renderam a primeira vitória aos 10 anos de idade em um campeonato local e, de lá para cá, foram muitos títulos nacionais e internacionais.

O brasileiro ganhou duas etapas no Mundial de juniores em 2011, antes de vencer o Campeonato Brasileiro e se classificar para o Campeonato Mundial pela primeira vez em 2014. Em 2019, sagrou-se campeão mundial da World Surf League (WSL), o maior campeonato de surfe do mundo, após uma vitória sobre o bicampeão Gabriel Medina.

Com a suspensão do circuito mundial em 2020 por causa da pandemia do coronavírus, Italo Ferreira continua sendo o atual campeão mundial de surfe.

Em 2021, Ítalo é o segundo colocado no ranking, atrás apenas de Gabriel Medina.

Inspiração para outras crianças

No início deste ano, ele anunciou a criação de um instituto para atender crianças de Baía Formosa, com foco na prática de surfe e inspiração no ídolo para alcançar uma vida melhor através do esporte.

"Fico muito orgulhoso de ter crescido em lugar onde tive ótimas pessoas comigo, todas as pessoas me deram muito apoio para estar aqui, acreditaram em mim e isso me ajudou e me motivou muito", acrescentou.

Ítalo Ferreira abriu caminho nas ondas da Praia de Surfe de Tsurigasaki com um estilo agressivo e impressionando os juízes ao longo de três dias de competição.

Quando a escuridão já tomava a praia, ele foi questionado se tinha uma mensagem para os fãs de esportes assistindo ao surfe pela primeira vez.

"Só quero dizer - o surfe pode mudar sua vida", sorriu Ítalo, com a medalha de ouro olímpica brilhando em seu pescoço.


Com Agência Brasil

Toda Palavra_Banner_300x250_Celular.gif
1/3
NIT_728x90-03.gif
NIT_300x250-01.jpg