top of page

Datafolha: Lula tem 49% e Bolsonaro, 44%

Atualizado: 8 de out. de 2022


Pesquisa Datafolha divulgada nesta sexta-feira (7) mostra o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) na liderança da corrida presidencial do segundo turno das eleições 2022 , com 49% das intenções de voto. O atual mandatário, Jair Bolsonaro (PL), marca 44% das intenções.


Os brancos e nulos correspondem a 6%, segundo a pesquisa. Os indecisos somaram 2%.


Este é o primeiro levantamento divulgado pelo instituto após o primeiro turno, realizado no último domingo (2) .


Nos votos válidos, o ex-presidente Lula alcançou 53% e o atual mandatário 47%. A margem de erro desta pesquisa é de dois pontos percentuais para mais ou menos.


Na pesquisa divulgada no dia 29 de setembro, antes das eleições, o instituto apontava para um cenário de estabilidade em um possível segundo turno entre Lula e Bolsonaro, com o petista na liderança.


No levantamento, o ex-presidente marcava 54% das intenções de voto, enquanto o atual chefe do Executivo tinha o voto de 39% das pessoas entrevistadas .


De acordo com o Tribunal Superior Eleitoral (TSE), Lula terminou o primeiro turno com 48,43% dos votos (57.259.504 votos), enquanto Bolsonaro marcou 43,20% (51.072.345 votos). O vencedor da disputa, marcada para o próximo dia 30 de outubro, irá comandar o país por ao menos quatro anos, até o fim de 2026, assumindo o governo em janeiro de 2023.


Os outros candidatos que apareciam em seguida nas pesquisas de intenção de voto e foram derrotados pelo petista e pelo atual presidente eram Simone Tebet (MDB) e Ciro Gomes (PDT) . Tebet marcou 4,16% (4.915.423 votos) e Ciro, 3,04% (3.599.287 votos).


Nesta pesquisa do segundo turno, o Datafolha ouviu 2.884 eleitores em 179 cidades. Contratado pela Folha e pela TV Globo, o levantamento está registrado no TSE sob o número BR-02012/2022.


Apoios para o 2° turno

Simone Tebet (MDB) e Ciro Gomes (PDT) , terceira e quarto colocados no 1° turno, respectivamente, declararam apoio ao candidato do PT nas eleições que serão disputadas no dia 30 de outubro.


"Ainda que mantenha as críticas que fiz ao candidato Luiz Inácio Lula da Silva — em especial nos seus últimos dias de campanha, quando cometeu o erro de chamar para si o voto útil, que é legítimo, mas sem apresentar suas propostas concretas para os reais problemas do Brasil —, depositarei nele o meu voto. Porque reconheço o seu compromisso com a democracia e a Constituição. O que desconheço no atual presidente", afirmou a emedebista.


Já Bolsonaro, recebeu o apoio de Rodrigo Garcia (PSDB), atual governador do estado de São Paulo . A decisão gerou uma debandada de secretários do governo paulista.


"O PSDB está reunido declarando neutralidade. Eu declaro meu apoio incondicional ao Tarcísio e ao Bolsonaro. Comuniquei ao presidente estadual e ao presidente nacional Bruno Araújo", afirmou Garcia.


O atual presidente também contou com apoio de outros governadores para o segundo turno, como o reeleito em Minas Geras, Romeu Zema (Novo), e o reeleito no Rio de Janeiro, Cláudio Castro (PL).


Fonte: IG

300x250px.gif
728x90px.gif