Defesa Civil confirma 91 mortes em Pernambuco


Trabalhos de busca, resgate e limpeza no Jardim Monteverde, em Jaboatão dos Guararapes (Reprodução)

A Defesa Civil de Pernambuco informou nesta segunda-feira (30) que 91 pessoas tiveram morte confirmada em decorrência das enchentes e deslizamentos que assolam o estado. Há ainda 26 desaparecidos, desde quarta-feira (25), quando as chuvas começaram a ficar mais intensas. Pelo menos 15 municípios estão oficialmente em situação de emergência.

A prefeitura de Recife anunciou, também nesta segunda-feira, que as festas de São João e São Pedro estão suspensas por conta das enchentes. O orçamento das festas, no total de R$ 15 milhões, será redirecionado para as vítimas da tragédia.

Forças de segurança, Defesa Civil, Exército e órgãos municipais estão atuando em sete pontos de deslizamentos da região metropolitana do Recife: Zumbi do Pacheco e Curado IV (Jaboatão dos Guararapes); Areeiro (Camaragibe); Monte Verde/Ibura, Barro e Guabiraba (Recife) e Paratibe (Paulista).

A operação conta com a participação de 198 bombeiros de Pernambuco; 11 da Paraíba; sete de Minas Gerais e oito do Rio Grande do Norte. Auxiliam também nos trabalhos 60 militares do Exército; 22 da Marinha; oito policiais militares; 100 guardas municipais; quatro policiais civis e 25 funcionários da empresa de limpeza urbana.

“Estamos trabalhando com força total, mobilizando os recursos disponíveis, buscando profissionais de vários estados do Brasil com especialidade em resgate em áreas de deslizamentos, além de suporte às áreas atingidas por terra, água e ar”, informou, em nota, o secretário de Defesa Social, Humberto Freire.

O número de desabrigados está em cerca de 5 mil, segundo balanço divulgado nesta segunda pela Central de Operações da Coordenadoria de Defesa Civil de Pernambuco (Codecipe).

De acordo com a Agência Pernambucana de Águas e Clima (Apac), as chuvas devem continuar até sexta-feira (3) na região metropolitana do Recife e na Zona da Mata, mas em menor volume e com intensidade moderada.

Diante da situação, a Defesa Civil estadual reforça o “alerta sobre o alto risco de deslizamentos, uma vez que o solo já está bastante encharcado”.

“Os maiores acumulados nas últimas 24 horas foram registrados nos municípios de Olinda (60 mm), Paulista (57 mm), Itapissuma (53 mm) e Recife (52 mm). A situação dos rios, porém, permanece estável. O nível de acúmulo nos pontos monitorados, sobre os quais foram emitidos avisos de alerta ou inundação já desceram ou estabilizaram, não havendo mais necessidade de aviso hidrológico”, informa a Defesa Civil.

O Departamento de Estradas de Rodagem (DER) informou que alguns trechos registraram alagamentos ou deslizamento de barreiras, o que provocou interdições parciais em rodovias ou tráfego em meia pista.

Bolsonaro critica governador

Ainda nesta segunda-feira, o presidente Jair Bolsonaro (PL) sobrevoou alguns locais das enchentes em Recife e fez política ao criticar o governador Paulo Câmara (PSB), dizendo que "faltou iniciativa" ao governo estadual.

"Em todos os momentos que os governadores nos procuraram ou prefeitos, nós atendemos. Eu acho que faltou iniciativa da parte dele também. Aqui ninguém está proibido de comparecer nesse local, nesse momento... Se o governador estava fazendo outra coisa, não sei, talvez ache melhor não estar presente aqui. Mas a gente não vai politizar essa questão", disse Bolsonaro em coletiva à imprensa.

Segundo a Folha de S. Paulo, o governo de Pernambuco disse que o governador não recebeu nenhuma ligação de Bolsonaro para discutir a tragédia, e que não foi convidado para acompanhar a comitiva de ministros que visitou o estado no domingo.


Com a Agência Brasil


Toda Palavra_Banner_300x250_Celular.gif
1/3
NIT_728x90-03.gif
NIT_300x250-01.jpg