Delação reforça rumores de afastamento de Witzel


Governador do Rio de Janeiro, Wilson Witzel (Fotos Públicas)

Acordo de delação premiada do ex-secretário de Saúde, Edmar Santos, foi homologada pelo ministro do Superior Tribunal de Justiça (STJ) Benedito Gonçalves nesta quarta-feira. A decisão fez aumentar os rumores de que nas próximas horas a Justiça poderá determinar o afastamento de Wilson Witzel do cargo do governo do estado.

No acordo que fez com o STJ, o ex-secretário se comprometeu a devolver cerca de R$ 8,5 milhões aos cofres públicos do estado do Rio de Janeiro.

Em sua delação, Edmar admitiu um esquema de corrupção em contratações da área de saúde e citou diretamente o envolvimento do governador nessas irregularidades.

Edmar foi afastado pelo governador em maio deste ano em meio a denúncias de irregularidades, mas logo após a demissão, entretanto, o governador Witzel criou uma nova secretaria para ele - a Secretaria Extraordinária de Acompanhamento das Ações Governamentais Integradas da Covid-19 -, ainda mantendo o status de secretário. A ação foi vista posteriormente por investigadores como uma tentativa de blindar Edmar Santos de investigações na primeira instância.

Com a homologação da delação, a Procuradoria Geral da República agora pode utilizar formalmente seus depoimentos para embasar inquéritos e medidas cautelares contra acusados.

300X350px_Negra.gif
1/3
NIT_728x90-03.gif
NIT_300x250-01.jpg
728X90px (2).gif