Delegado que investigava 04 de Bolsonaro é rebaixado


(Reprodução)

O delegado Hugo de Barros Correa, que até então era o superintendente Regional da Polícia Federal no Distrito Federal, passou a ser responsável pela implementação interna do plano de saúde dos policiais, entre outros assuntos burocráticos da corporação.

A queda abrupta de Correa se deu após investigar o filho 04 do presidente Jair Bolsonaro (PL), Jair Renan, por suposto crime de tráfico de influência e lavagem de dinheiro. As informações são do Estadão, que destaca que o delegado "despencou do cargo depois de mexer em vespeiros", como os inquéritos que investigam o caçula do clã dos Bolsonaroo e as fake news".

O inquérito conduzido pela PF indica que Jair Renan teria usado em novembro de 2020 a empresa dele, a Bolsonaro Jr Eventos e Mídia, para aproximar a mineradora Gramazini Granitos do ministro do Desenvolvimento Regional, Rogério Marinho, para tratar de um projeto de construção de casas populares.

Em troca da articulação, Jair Renan e seu parceiro comercial, o empresário Allan Lucena, foram presenteados com um carro elétrico, avaliado em R$ 90 mil. Um mês após ele receber o veículo, os empresários que fizeram o repasse do automóvel se reuniram com Rogério Marinho.

Renan negou que tenha marcado reunião ou pedido qualquer coisa ao governo. “Nunca pedi para ir a reunião. Só me convidaram. Fui porque conhecia o pessoal lá. Entrei mudo e saí calado.”

O inquérito aponta que houve associação de Jair Renan com outras pessoas "no recebimento de vantagens de empresários com interesses, vínculos e contratos com a Administração Pública Federal e Distrital sem aparente contraprestação justificável dos atos de graciosidade. O núcleo empresarial apresenta cerne em conglomerado minerário/agropecuário, empresa de publicidade e outros empresários".

Empresário confirma reforma de escritório

De acordo com o Globo nesta sexta-feira, o empresário Luís Felipe Belmonte confirmou à Polícia Federal que pagou R$ 9,5 mil para reformar um escritório em Brasília usado por Jair Renan. O depoimento foi prestado no mesmo inquérito que apura suspeita de tráfico de influência do filho 04 junto ao governo do pai.

Em depoimento, o empresário disse que o pedido de contribuição financeira para uma obra de melhoria em uma sala comercial ocupada pelo filho do presidente foi feito pelo próprio Renan e pelo então parceiro dele de negócio Allan Lucena.

Renan nega ter praticado qualquer irregularidade.

vila_de_melgaco.jpg
Toda Palavra_Banner_300x250_Celular.gif
1/3