Denúncia do MP-RJ pode ser fim da linha para vereador Gabriel Monteiro


(Reprodução)

Para quem já faturou até R$ 300 mil por mês por seus vídeos postados no Youtube, e até há pouco mais de duas semanas era uma das principais apostas do partido do presidente Jair Bolsonaro (PL) para deputado federal, a denúncia oferecida pelo Ministério Público do Rio de Janeiro (MP-RJ) nesta sexta-feira (8) pode ser o fim da linha na carreira política meteórica do vereador Gabriel Monteiro (PL), um ex-PM e Youtuber que ganhou projeção na onda bolsonarista em 2018. O MP-RJ pede que ele seja condenado por ter filmado as relações sexuais que manteve com uma adolescente, que na época tinha 15 anos.

Na denúncia feita à 28ª Vara Criminal da Capital, a Promotoria destaca que Monteiro, "de forma livre e consciente, filmou através de telefone celular cena de sexo explícito". As cenas foram gravadas dentro da mansão dele, num condomínio de luxo na Barra da Tijuca, Zona Oeste da cidade, e posteriormente vazadas em redes sociais.

Além da ação do MP-RJ, também nesta sexta-feira, a Comissão de Justiça e Redação da Câmara do Rio aceitou uma representação que pode levar à cassação do seu mandato. A representação havia sido aprovada por unanimidade na Comissão de Ética da Casa, na última terça-feira.

De acordo com informações do Globo, o PL resolveu levar a debate na Executiva nacional do partido na próxima semana a expulsão do vereador de seus quadros. O objetivo é livrar o partido, o quanto antes, dos constrangimentos causados pelas denúncias contra Gabriel Monteiro.

Na quinta-feira, o vereador também foi alvo de uma operação da Polícia Civil. Foram apreendidos na presença de Monteiro, em sua casa, uma escopeta, seis pistolas, discos rígidos e outros itens que podem ajudar nas investigações, a cargo da 42ª DP (Recreio dos Bandeirantes).

Toda Palavra_Banner_300x250_Celular.gif
1/3
NIT_728x90-03.gif
NIT_300x250-01.jpg