Deputado cobra do estado recuperação do Palacete da Praia Grande


Palacete da Praia Grande - Foto: Marcos Roque da Luz / Reprodução Facebook

O deputado Estadual Felipe Peixoto (PSD), encaminhou nesta quarta-feira (17/3) à presidência da Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro (Alerj), um pedido para envio de ofício ao governador em exercício Claudio Castro, solicitando a recuperação e manutenção do Palacete da Praia Grande, na Rua Marechal Deodoro, no Centro de Niterói. O documento cita a matéria publicada pelo jornal TODA PALAVRA no dia 7 de março (leia aqui), mostrando a deterioração do imóvel de propriedade do Estado do Rio de Janeiro, e a indignação de moradores e defensores do patrimônio histórico através de denúncias nas redes sociais.


"O estado está em recuperação fiscal e mesmo que não disponha de verbas agora para isso, tem condições de buscar financiamento da iniciativa privada, assim como fez para restaurar os palácios Guanabara e Laranjeiras. Mas, antes, precisa realizar obras emergenciais. E enquanto busca apoio, deve se planejar, fazer um inventário do que vai ser recuperado, elaborar um orçamento. Obras desse tipo precisam de mais tempo para planejar do que para executar.", afirma Felipe.



Deputado Felipe Peixoto / Divulgação

O deputado conta que solicitou recentemente ao governo estadual uma lista com todos os imóveis pertencentes ao estado e localizados em Niterói. Sobre o Palacete da Praia Grande, Felipe disse que vai cobrar uma solução, e caso o estado não tome providências, pretende acionar o MP para reivindicar, entre outras coisas, a apresentação de um cronograma de obras para a recuperação do prédio.


"Não é porque Niterói deixou de ser capital que o estado vai largar seu patrimônio histórico abandonado, sem manutenção", defende.


Ele lembrou que o Palacete da Praia Grande não é o único que está em péssimas condições. O antigo prédio do Tribunal de Contas do Estado (TCE), na Avenida Jansen de Melo, que foi emprestado ao órgão, passou por reformas, mas foi devolvido ao estado em 2015. Desde então, permanece fechado. Além da ação da tempo, sofre com depredações. Situação, segundo ele, não muito diferente do palacete da rua Marechal Deodoro.


Preocupado também com a conservação dos prédios históricos do estado que abrigam museus e acervos culturais em Niterói, Felipe Peixoto esteve nesta quarta-feira (17/3) com José Roberto Gifford, presidente da Fundação Anita Mantuano de Artes do Estado do Rio de Janeiro (FUNARJ), órgão responsável pela gestão desses espaços. Eles visitaram o Museu do Ingá, o Museu Antonio Parreiras e a Casa de Oliveira Vianna, na Alameda São Boaventura, no Fonseca, que no passado foi residência do jurista niteroiense, e hoje guarda todo o seu acervo.


"Nós pedimos a retomada das obras de recuperação do Museu Antonio Parreiras, melhorias na segurança do Museu do Ingá e a realização de obras emergenciais na Casa de Oliveira Vianna, cujo forro do telhado caiu e precisa de manutenção urgente", conta ele.

300X350px_Negra.gif
1/3
NIT_728x90-03.gif
NIT_300x250-01.jpg
728X90px (2).gif