Desautorizado por Bolsonaro, Pazuello contrai Covid


O general Eduardo Pazuello, atual ministro da Saúde do Brasil, é mais um novo membro do governo Bolsonaro a testar positivo para a Covid-19. Nesta quarta-feira (21), o ministro foi desautorizado pelo presidente Jair Bolsonaro, através do Facebook, de contratar 46 milhões de doses da vacina chinesa Coronavac.

Após ficar de fora, na última segunda-feira (19), da apresentação no Palácio do Planalto de resultados de um estudo feito com vermífugo sem que tenha havido publicação científica que comprove sua eficácia, na terça o ministro teve febre e precisou trabalhar remotamente, de casa. O resultado do teste para o novo coronavírus, com o diagnóstico positivo foi divulgado nesta quarta. Pazuello segue descansando em sua residência.

Com essa nova infecção, sobe para 12 o número de pessoas infectadas pela Covid-19 na equipe ministerial do presidente Jair Bolsonaro, que também já teve a doença: Augusto Heleno (Gabinete de Segurança Institucional), Bento Albuquerque (Minas e Energia), Milton Ribeiro (Educação), Onyx Lorenzoni (Cidadania), Marcos Pontes (Ciência, Tecnologia e Inovações), Wagner Rosário (Controladoria-Geral da União), Braga Netto (Casa Civil), Jorge Oliveira (Secretaria-Geral), Marcelo Álvaro Antônio (Turismo), Fabio Faria (Comunicações), Luiz Eduardo Ramos (Secretaria de Governo) e, agora, Pazuello.

'Querendo aparecer'

Segundo o colunista Lauro Jardim, do Globo, Bolsonaro estaria irritado com Pazuello por conta do anúncio da compra das doses da vacina da China. Bolsonaro teria dito a auxiliares que Pazuello está "querendo aparecer demais, está gostando dos holofotes, como o Mandetta" (ex-ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta). Outros auxiliares, no entanto, disseram ao UOL que, apesar do constrangimento de um ministro ser desautorizado pelo presidente, Pazuello seguiria prestigiado no cargo.

1/3
300x250px.gif