top of page

Deslocamento em massa já afeta 65% da população de Gaza

Atualizado: 8 de nov. de 2023


(Reprodução/Redes sociais)

Em declaração conjunta, três grupos de direitos humanos palestinos alertaram que 1,5 milhão de pessoas foram deslocadas internamente em Gaza, o que foi classificado como uma contribuição para a "limpeza étnica" da população palestina.


Os grupos de direitos humanos palestinos Al Mezan, Al-Haq e o Centro Palestino para os Direitos Humanos (PCHR, na sigla em inglês), em comunicado conjunto, alertaram que a população de Gaza enfrenta um "genocídio iminente, juntamente com deslocamentos forçados em massa e limpeza étnica", apelando a um "cessar-fogo imediato no enclave costeiro sitiado".


"A ofensiva militar israelense causou o maior deslocamento em massa de palestinos, em um período muito curto de tempo, desde a Nakba de 1948: cerca de 1,5 milhão de palestinos, 65% da população de Gaza, estão deslocados internamente dentro da região", confirmaram as organizações.


A Nakba, ou "catástrofe" em árabe, refere-se aos 760 mil palestinos que perderam suas casas ou foram deslocados durante a guerra de 1948, que coincidiu com a criação do Estado de Israel.

Além disso, a nota diz que o deslocamento foi causado por "ordens de evacuação" israelenses e "bombardeios implacáveis".


"Enquanto escrevemos, a ameaça de deslocamento forçado em massa para o Egito e de limpeza étnica de mais de dois milhões de palestinos permanece iminente", afirmaram as organizações.


Ao fim, o comunicado informa que "é imperativo que a comunidade internacional tome medidas imediatas para interromper a campanha militar vingativa de Israel contra Gaza" e "impedir a tentativa de deslocamento forçado de palestinos".


Fonte: Agência Sputnik

Comments


Divulgação venda livro darcy.png
Chamada Sons da Rússia5.jpg
bottom of page