top of page

Dia da Mulher: atividades marcam luta por direitos

Cada Mulher, uma história. Com esse slogan, a Coordenadoria de Políticas e Direitos das Mulheres (Codim) da Prefeitura de Niterói preparou um mês inteiro de atividades que vão marcar e celebrar o Mês das Mulheres. Neste dia 8, em que se comemorou o Dia Internacional da Mulher, uma ação realizada na Praça Arariboia, no Centro, convidava mulheres a registrarem, em um painel, a sua história ou uma mensagem de carinho para quem passava pelo local. A atividade contou com o apoio da equipe da Administração Regional Centro e Ponta da Areia.

Foto: Bruno Eduardo Alves / Prefeitura de Niterói

A coordenadora da Codim, Fernanda Sixel, explicou que a data nasceu através da luta das mulheres por seus direitos e hoje, apesar dos avanços conquistados, ainda é preciso denunciar diariamente as violências e promover a conscientização de todas as mulheres para que conheçam seus direitos.


“Nós, mulheres, conhecemos as dificuldades que se impõem diariamente em nossas vidas e acabamos por não reconhecer a importância das nossas próprias vivências e histórias! Hoje na Praça Arariboia celebramos cada mulher e sua história pessoal, afirmando que as trajetórias de todas são importantes e necessárias. Convidadas a escrever no mural, as suas vozes ganharam forma e nós sabemos que dar a voz a uma mulher é um ato político poderoso. Viva as mulheres!”, disse, Fernanda.


A diretora geral da pasta, Thamyris Elpidio, contou que a ação representa o quanto cada mulher é única e faz com que se sinta representada no coletivo.


"Ser mulher é ser resistência e a gente acaba se desenvolvendo na sociedade sabendo que tem que lutar para crescer e ocupar espaços de representatividade e protagonismo que, por muito tempo, nos foi renegado. Essa ação é importante porque pergunta às próprias mulheres qual é a história delas, aquilo que elas querem contar para deixar registrado. Isso faz com que se sintam representadas, faz com que saibam que existe uma Coordenadoria que pensa em políticas públicas voltadas para as mulheres, que a Prefeitura de Niterói se importa com cada cidadã mostrando que elas não estão sozinhas e que suas histórias realmente importam. Cada mulher tem uma história única e singular e que juntas a gente consegue construir um futuro bonito, de justiça e de igualdade contando as nossas histórias e escrevendo novas", destacou.


O painel foi colocado na Praça, no Centro da cidade. Em meio à correria de uma quarta-feira cotidiana, mulheres davam uma pequena pausa para registrar um pouco do que têm guardado dentro de si. Com histórias únicas e inspiradoras, palavras foram tirando o branco do painel e dando o tom dessa data de luta.


“Exemplo de força e coragem”, essa foi a mensagem que a Nathália Araújo, grávida de 7 meses da Luisa, anotou no painel. Ela contou que, apesar de todos os dias serem das mulheres, a data de hoje carrega um simbolismo.


"Todos os dias são nossos, mas nessa data a gente tem um simbolismo maior e com mais peso de tudo que a mulher representa na vida e enxergamos muito das mulheres importantes para nós como mãe, vó, tia... pessoas que acompanham o nosso desenvolvimento e nosso crescimento. A gente olha para nossa linhagem e percebe como tudo muda muito rápido do que elas viveram para o que vivemos hoje e perceber essa progressão que a gente vê no decorrer do tempo é muito lindo de se viver. Estou grávida de 7 meses de uma mulher e é um desafio muito grande. O mundo é muito perigoso, principalmente para nós, mulheres".


Durante todo o dia, o painel ficou à disposição para receber as mensagens. De passagem, Dione de Oliveira fez questão de deixar seu recado.


"Enquanto mulher a gente está sempre sendo colocada à prova e isso é muito duro. Precisamos provar nosso valor, nossas qualidades e brigar sempre para ocupar lugares de fala que já nasceram com os homens e precisamos lutar todo o tempo, para sermos ouvidas sem sermos ridicularizadas. Esse dia é um dia de luta, de expor as nossas pautas como igualdade salarial, de gênero, ter direito ao próprio corpo... É uma luta cotidiana!", declarou.


No fim da tarde, as mulheres foram presenteadas com um pocket show de MPB com a cantora Débora Ojeda. Músicas como "Pagu", de Rita Lee, e "Reconvexo", de Maria Bethânia, e de diversas outras cantoras brasileiras lembraram a luta que as mulheres passam diariamente para garantirem direitos iguais. No local, que fica bem em frente à estação das barcas, vários curiosos pararam para assistir ao show, e se juntar à causa.


A programação se estende durante todo o mês, em diversos locais da cidade. Acompanhe pelas redes da Prefeitura (@niteroipref) e da Codim (@mulheresniteroi) ou pelo site.


Fonte: Coordenadoria Geral de Comunicação da Prefeitura de Niterói

Comentarios


Divulgação venda livro darcy.png
Chamada Sons da Rússia5.jpg
bottom of page