Dinheiro estrangeiro financiou ataques ao STF, diz Toffoli


Ministro Dias Toffoli, do Supremo: ações antidemocráticas financiadas com verba internacional (Foto: STF)

O ministro Dias Toffoli, do Supremo Tribunal Federal (STF), afirmou nesta segunda-feira (22) que os inquéritos que investigam fakenews e manifestações contra a Corte e o Congresso Nacional apontaram que as ações foram financiadas com verba internacional.

"Esse inquérito que combate as fakenews e os atos antidemocráticos já identificou financiamento estrangeiro internacional a atores que usam as redes sociais para fazer campanhas contra as instituições, em especial o Supremo Tribunal Federal e o Congresso Nacional", afirmou o ministro,

em entrevista concedida na noite de domingo ao Canal Livre, da TV Bandeirantes.

Toffoli não deu maiores informações sobre quem seriam os responsáveis pelo financiamento e como os pagamentos teriam sido feitos, e se no Brasil ou no exterior.

"Há uma organização por trás disso, que ataca inclusive a imprensa tradicional e séria", disse o ministro, acrescentando que essa prática serve para "desestabilizar a democracia" no Brasil.

"A história do país mostrou ao que isso levou no passado. Financiamento a grupos radicais, seja de extrema-direita, seja de extrema-esquerda, para criar o caos e desestabilizar a democracia em nosso país", completou Toffoli, que presidiu a Suprema Corte entre setembro de 2018 e setembro de 2020, quando foi substituído pelo atual presidente, Luiz Fux.

300X350px_Negra.gif
1/3
NIT_728x90-03.gif
NIT_300x250-01.jpg
728X90px (2).gif