Doria afasta coronel que incitou ato bolsonarista de 7 de setembro


O coronel PM Aleksander Lacerda (Foto: Câmara Municipal de Sorocaba)

O governador João Doria (PSDB) afastou nesta segunda-feira (23) da Polícia Militar de São Paulo o chefe do Comando de Policiamento do Interior-7, coronel Aleksander Lacerda, por ato de indisciplina, após este fazer convocação de "amigos" para a manifestação bolsonarista marcada para 7 de setembro, mas não só: Lacerda afirmou em rede social que Doria, que aparece numa fotomontagem como um travesti, é uma "cepa indiana"; que o ex-presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), recém-nomeado no governo paulista, é "mafioso"; e que o presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (DEM-MG) é um "covarde". Não obstante, o coronel bolsonarista escreveu também que "liberdade não se ganha, se toma" e que "o caldo" na manifestação na Avenida Paulista "vai entornar".

Doria determinou o afastamento do coronel PM por indisciplina, ressaltando que São Paulo não vai tolerar manifestações políticas de policiais militares na ativa. O Comando de Policiamento do Interior-7 abrange sete batalhões e 78 municípios do estado.

"Aqui no estado de São Paulo nós não teremos manifestações de policiais militares na ativa de ordem política. Não admitiremos nenhuma postura de indisciplina, como foi feita pelo coronel Aleksander. Agora ele está afastado da Polícia Militar a partir desta manhã", disse o governador em coletiva nesta segunda-feira.

Em outra postagem, o oficial disse ainda que "nenhum liberal de talco no bumbum" seria capaz de "derrubar a hegemonia esquerdista no Brasil", e que por isso, a manifestação precisaria "de um tanque, não de um carrinho de sorvete".

Lacerda deve ser convocado pela Corregedoria da Polícia Militar para prestar esclarecimentos.

Os ataques feitos pelo militar em sua conta no Twitter foram revelados pelo Estadão.

Toda Palavra_Banner_300x250_Celular.gif
1/3
NIT_728x90-03.gif
NIT_300x250-01.jpg