Dr. Jairinho investigado por agressões a mais 2 crianças


Com o novo depoimento de uma ex-namorada do parlamentar, Débora Melo Saraiva, Dr. Jairinho já é investigado pela polícia em mais dois casos de denúncias de agressões a crianças.

Uma das crianças, um menino de 3 anos de idade na época, teve fêmur fraturado ao ir a casa de festas com o parlamentar. Outra denúncia foi feita por outra ex-namorada do vereador, mãe de uma menina que hoje tem 13 anos. Ela diz que sua filha passava por situações semelhantes as vividas por Henry: “Eu falava que ele estava vindo, aí ela passava mal, vomitava, me agarrava. Ou então pedia à minha mãe: 'Posso ficar com você, vó? Eu não quero ir, quero ficar aqui', relatou a ex-namorada, cuja identidade não foi revelada. Jairinho nega as agressões.

Neste sábado (17), fotografias obtidas pelo portal G1 mostram o vereador Dr. Jairinho e sua namorada, Monique Medeiros, após darem entrada no sistema penitenciário pela morte do filho dela, Henry Borel, de 4 anos.

O vereador está preso no Complexo de Gericinó, em Bangu, Zona Oeste do Rio de Janeiro e Monique está no Instituto Penal Ismael Silveiro, em Niterói, na Região Metropolitana.

Na sexta-feira (16), o Globo divulgou imagens do circuito de segurança da Cadeia Pública José Frederico Marques que mostram o diretor da unidade prisional, Ricardo Larrubia da Gama, entregando um sanduíche ao parlamentar no correador da recepção.

De acordo com as imagens, o diretor do presídio apareceu também conversando com Jairinho ao entregar o sanduíche. Os dois estavam sentados em um banco no interior do presídio.

O Secretário de Administração Penitenciária (Seap), Raphael Montenegro, informou que o lanche era servido a todos os outros presos e que não há indícios de regalias para Jairinho.

Ainda segundo o titular da pasta, não há nenhum procedimento em aberto para investigar as denúncias sobre privilégios recebidos pelo parlamentar na prisão, já que nada foi constatado de irregular nas imagens das câmeras de segurança da cadeia. Incomodado com a repercussão do caso, Montenegro pediu demissão do cargo.

A Polícia Civil ainda está concluindo o inquérito, e Dr. Jairinho e Monique podem ser indiciados por homicídio duplamente qualificado e tortura.

De acordo com a versão apresentada pela mãe e pelo padrasto da criança, Henry foi encontrado desacordado na casa onde morava com o casal, no mês passado. Ele já chegou morto ao hospital para o qual foi levado.

Entretanto, a polícia levantou que horas antes a criança havia voltado de um passeio com o pai. Imagens de câmeras de segurança mostram a criança bem, sem qualquer sinal de desconforto nesse momento. A necropsia, no entanto, mostra que o menino tinha múltiplos ferimentos em vários órgãos, como hematomas no abdômen e nos membros superiores; infiltração hemorrágica na cabeça; contusão no rim; trauma com contusão pulmonar e laceração no fígado.

300X350px_Negra.gif
1/3
NIT_728x90-03.gif
NIT_300x250-01.jpg
728X90px (2).gif