top of page

Edital vai apoiar jovens cientistas mulheres do estado

A FAPERJ (Fundação de Apoio à Pesquisa do Estado do Rio de Janeiro) lançou na quinta-feira, 11 de maio, um edital de fomento à pesquisa inédito. Trata-se do “Programa de Apoio à Jovem Cientista Mulher com vínculo em Instituições de Ciência e Tecnologia do Estado do Rio de Janeiro”.

Foto: Tomaz Silva / Agência Brasil / Arquivo

O edital, que irá contar com recursos de R$ 13 milhões, é uma chamada exclusiva para jovens cientistas mulheres e visa apoiar projetos científicos de excelência, com metodologias inovadoras com foco, preferencialmente, à criação de novas linhas de pesquisa, liderado por jovens cientistas mulheres em Instituições de Ciência e Tecnologia (ICTs) sediadas em território fluminense.


O apoio será concedido na forma de Auxílio à Pesquisa às jovens pesquisadoras mulheres com expressiva contribuição na sua área de atuação, com vínculo empregatício ou funcional com ICTs localizadas no Estado do Rio de Janeiro e com menos de 12 anos de doutoramento. Os recursos financeiros poderão ser utilizados para o estabelecimento e melhoria de infraestrutura, e para despesas de custeio previstas nos projetos de pesquisa apresentados.


Segundo o presidente da FAPERJ, esse edital se insere no contexto das recentes iniciativas de movimentos nacionais e internacionais de apoio às políticas que promovam a diversidade na ciência.


“É dever da Fundação promover ações que se destinem à correção das desigualdades que atingem e tornam mais árduos os percursos das pesquisadoras que coordenam ou de algum modo tomam parte dos projetos de pesquisa científicos e tecnológicos no Estado do Rio de Janeiro. Dados recentes mostram que as mulheres já ocupam mais de 50% das autorias de artigos, mas ainda estão sub-representadas em posições mais altas da carreira científica”, disse.


De acordo com a diretora Científica da FAPERJ, Eliete Bouskela, o lançamento do programa pode contribuir para o aumento de pesquisadoras mulheres nas Instituições de Ciência e Tecnologia.


“Somente com o investimento em ações concretas conseguiremos minimizar as desigualdades de gênero que enfrentamos diariamente na universidade e em todos os outros campos da sociedade”, afirmou Bouskela.


Para a pesquisadora e neurocientista Leticia de Oliveira, presidente da Comissão de Equidade, Diversidade e Inclusão da FAPERJ e membro do movimento "Parent in Science", esse edital é fundamental para diminuir as diferenças de gênero estabelecidas na ciência do Brasil e do mundo.


“Estimular jovens cientistas mulheres é importante para diminuir a evasão de mulheres na carreira científica”, aponta Letícia.


Nessa nova chamada, exclusiva para "Jovens Cientistas Mulheres", serão contemplados ao menos 15 propostas, cinco para cada um dos Colégios estabelecidos pela Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes): (1) Ciências da Vida, (2) Humanidades e (3) Ciências Exatas, Tecnológicas e Multidisciplinar. Cada proposta poderá receber auxílio de até R$ 700 mil (incluindo bolsas de Iniciação Científica). Caso essas bolsas sejam solicitadas, estas somente serão implementadas após o depósito do auxílio financeiro referente às rubricas de custeio e capital em cada projeto.


Confira na íntegra o 'Edital FAPERJ Nº 07/2023 – Programa de Apoio à Jovem Cientista Mulher com Vínculo em ICTs do Estado do Rio de Janeiro'.


Fonte: Ascom Faperj


Comments


Divulgação venda livro darcy.png
Chamada Sons da Rússia5.jpg
bottom of page