Educadoras denunciadas por maus-tratos contra criança em creche

O Ministério Público do Estado do Rio de Janeiro (MPRJ), por meio da 2ª Promotoria de Justiça de Investigação Penal Territorial da área Ilha do Governador e Bonsucesso, denunciou três educadoras por maus-tratos contra uma criança de três anos dentro da creche-escola Tempo de Construir, em Ramos, Zona Norte do Rio.

Reprodução

A investigação apurou que rotineiramente o menino era mantido em sua cadeira especial por horas, privado de alimentação e cuidados básicos. As denunciadas são a diretora/proprietária e duas professoras da unidade.


A vítima tem paralisia cerebral e deveria ter auxílio de um educador especial durante o período em que ficava na escola. Em vez disso, de acordo com o MPRJ, em vários dias a vítima sequer recebeu líquidos durante todo o período em que permaneceu na creche, teve refeição distinta da oferecida aos colegas, pouca troca de fraldas, não foi levada para atividades ao chão e nem mesmo pode desfrutar da chamada "soneca", permanecendo presa por horas em sua cadeira na mesma posição. A rotina foi flagrada pelas câmeras de vigilância da própria creche e as imagens foram devidamente periciadas.


Esse tratamento gerou consequências para a saúde do menino. No dia 12/09/2021 ele passou mal e, ao ser levado ao médico, os pais foram informados que estava desidratado. Além disso, contraiu infecção urinária possivelmente pela privação de hidratação e de adequada higienização, apontou exame laboratorial.


Além das professoras, a diretora foi denunciada pois acompanhava de perto o trabalho delas, seja na sala de aula ou pelas câmeras de monitoramento. Dessa forma, tinha conhecimento e participação nos maus tratos, pois também não oferecia água, o mantinha sentado por horas em sua cadeira e, inclusive, retirou a educadora especial que acompanhava a vítima nas aulas.


Fonte: MPRJ

Toda Palavra_Banner_300x250_Celular.gif
1/3
NIT_728x90-03.gif
NIT_300x250-01.jpg