Em meio a escândalo, Witzel exonera secretário de Saúde do Rio


Wilson Witzel também foi incluído em inquérito no STJ que apura a fraude na Saúde do Rio (Agência Brasil)

Em meio à pandemia, que agrava a cada dia o sistema de saúde no estado, e ao escândalo provocado por denúncias de fraudes em licitação para a compra de respiradores para combate ao coronavírus, o governador Wilson Witzel (PSC) anunciou, na manhã deste domingo (18), a exoneração do secretário de Saúde do Rio de Janeiro, Edmar Santos.

A Secretaria de Saúde vem sendo alvo da Operação Favorito, do Ministério Público e da Polícia Civil, que investiga o empresário Mário Peixoto, maior fornecedor de mão de obra terceirizada ao governo do estado, desde a época do ex-governador Sérgio Cabral, preso em Bangu 8. No início do mês, as investigações resultaram a prisão do ex-subsecretário, Gabriel Neves, e mais três pessoas – todos suspeitos de obter vantagens na compra emergencial de respiradores para pacientes de Covid-19 no estado.

A força-tarefa calcula que o grupo de Mário Peixoto desviou cerca de R$ 700 milhões dos cofres do governo estadual. O governador Wilson Witzel também foi incluído num inquérito aberto no Superior Tribunal de Justiça (STJ) para apurar a fraude na compra de respiradores.

300x250_QuatroRodas.gif
728x90_PorqueArCondicionado.gif
Toda Palavra 077 - páginas centrais.jpg

Leia a versão digital da edição impressa do TP