Em Niterói, gestão pública também é lugar de mulher

A Secretaria Municipal de Fazenda de Niterói (SMF) realizou, nesta segunda-feira (7/3), a live "Gestão pública também é lugar de mulher". O encontro online debateu a necessidade do aumento do número de mulheres em posições de liderança para o fortalecimento de políticas de equidade de gênero.

Reprodução

A roda de conversa contou com a participação da secretária de Fazenda de Niterói (SMF), Marília Ortiz; da secretária de Planejamento, Orçamento e Modernização da Gestão de Niterói (Seplag), Ellen Benedetti; da coordenadora de Políticas e Direitos das Mulheres de Niterói (Codim), Fernanda Sixel; e da secretária da Mulher da Prefeitura do Rio de Janeiro, Joyce Trindade.


A mediação do encontro foi da diretora da Escola de Governo e Gestão de Niterói, Isabela de Jesus. A live foi transmitida pelo canal da Secretaria de Fazenda de Niterói no Youtube.


A secretária municipal de Fazenda, Marília Ortiz, enfatizou que debater uma participação maior das mulheres em posições de liderança na gestão pública é uma questão de mudança de valores.


“A atuação de mais mulheres em postos estratégicos significa mais políticas de equidade de gênero. E isso significa construir uma sociedade com mais igualdade para todos”, afirmou Marília Ortiz, que durante o evento lançou a campanha Elas da SMF com o tema "Inova+Ação".


“Vamos dar protagonismo e fazer o reconhecimento às mulheres que estão inovando a administração pública. Vamos homenagear, este ano, sete servidoras que assumiram projetos inovadores. São soluções de serviços para o cidadão. Ações que se tornam instrumentos para a tomada de decisão dos gestores municipais. Com esses projetos, a cidade caminha para uma maior maturidade institucional”, explicou.


A secretária de Planejamento, Ellen Benedetti, destacou que é fundamental levar as pautas femininas para a dinâmica organizacional da Prefeitura. Ela reforçou que é determinante a capacitação dos servidores neste sentido.


“Temos na Escola de Governo e Gestão um curso sobre gênero em políticas públicas, queremos contribuir para a agenda de igualdade de gênero e impulsionar mulheres líderes na gestão pública municipal. No caso de Niterói, é preciso destacar que existe destinação orçamentária para as políticas de garantia de direitos para as mulheres. As políticas públicas devem ser orientadas para que considerem recortes de gênero, raça, tornando-as mais inclusivas e assertivas”, disse Ellen.


A coordenadora de Políticas e Direitos das Mulheres de Niterói, Fernanda Sixel, afirmou que é importante celebrar as conquistas alcançadas pelas mulheres, mas que ainda é preciso avançar para se alcançar uma mudança cultural e de postura em relação à presença feminina na sociedade. Ela também citou que, em Niterói, a perspectiva feminina na gestão pública é muito presente.


“Temos desenvolvido várias ações em parceria com outros órgãos da Prefeitura para expandir as pautas de gênero. Fizemos, por exemplo, um treinamento com guardas municipais e agentes de trânsito para o atendimento adequado às mulheres. Temos o auxílio social, que garante, por um ano, uma renda de R$ 1 mil mensais para mulheres que saem de situação de violência e vulnerabilidade. Acreditamos na capacitação para que essas mulheres tenham uma nova perspectiva de vida. Niterói é referência em boas práticas de gestão e isso ocorre também em razão da participação feminina”, frisou Fernanda Sixel.


A secretária da Mulher da Prefeitura do Rio, Joyce Trindade, lembrou que existe uma convergência com Niterói em relação a pautas sobre os direitos das mulheres.


“Existem espaços a serem ocupados pelas mulheres na gestão pública. Assim como Niterói, o Rio também trabalha para ser referência em equidade de gênero. As duas cidades caminham juntas nesta direção”, concluiu Joyce Trindade.


Fonte: Coordenadoria Geral de Comunicação da Prefeitura de Niterói

300x250px.gif
728x90px.gif