top of page
banners dengue balde niteroi 728x90 29 2 24.jpg

Em Niterói, Lula defende recuperação da indústria naval

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) participou, nesta terça-feira (2/4), no Porto de Niterói, do evento que marca o início das obras de dragagem do Canal de São Lourenço, que irá impulsionar o setor naval e marítimo no município e no país. Trata-se da maior obra de dragagem do Brasil.

Foto: Ricardo Stuckert / PR

Em seu discurso, o presidente destacou o objetivo de recuperar a indústria naval para impulsionar a economia.


"Quero que vocês tenham certeza de que a gente vai recuperar a indústria naval brasileira. Não é possível ser um país que tem 90% do comércio feito através do mar e ainda ter déficit na balança comercial porque nossos produtos são exportados e importados em navios de bandeira estrangeira", declarou Lula, enfatizando a urgência de promover a soberania nacional nos mares.


O presidente fez questão de afirmar que, embora seja mais barato alugar navios estrangeiros, isso não contribui para o desenvolvimento da indústria nacional e para o fortalecimento da economia.


"É verdade que pode ser mais barato em alguns dólares, mas o fato de a gente alugar um navio lá fora, a gente não vai gerar emprego aqui, nem gerar pequenas e médias indústrias locais ou ter componentes nacionais. O emprego gera renda, a renda gera consumo e o consumo gera desenvolvimento", defendeu.

A intervenção no Canal de São Lourenço tem o objetivo de alavancar toda a produção naval e pesqueira da região. Serão gerados cerca de 20 mil empregos diretos e indiretos.


"Voltamos com o compromisso de colocar a casa no lugar. Só em janeiro e fevereiro, a gente já gerou 500 mil empregos formais. Podem ter a certeza que vai vir mais coisa para Niterói, como a Escola de Pesca, que vamos executar junto com a Prefeitura", afirmou Lula.


O prefeito Axel Grael destacou que um novo terminal pesqueiro na região vai atender a indústria da pesca de todo o estado e colocar Niterói entre as principais cidades do país em captura, exportação e distribuição em grande escala de pescado industrial.


"A dragagem do Canal de São Lourenço vai viabilizar o funcionamento do Terminal Pesqueiro. Uma parceria com o Governo Federal nos permitiu municipalizar este equipamento. A obra aumentará a profundidade do canal, o que vai ampliar significativamente a capacidade de navegação do local. Paralelamente a isso, fizemos um pedido ao BNDES para que abra crédito especial para as empresas que estão se estruturando na cidade, a partir desta obra, para que possam estar em competitividade com outras do setor", explicou Axel Grael.

Para o ex-prefeito e atual secretário Executivo da Prefeitura, Rodrigo Neves, assim como o Brasil, Niterói está ajustando sua rota para voltar a se destacar na indústria naval. A cidade tem 35 berços de atracação (públicos e privados) homologados pelo Governo Federal, somando mais de 3.300 metros lineares de cais acostáveis, com profundidades variando entre 4 e 9 metros.


"Um ciclo de governos progressistas fez de Niterói uma referência de boa gestão, de qualidade de vida. Isso foi graças ao esforço consciente do nosso povo, que votou pela democracia, votou pelos direitos humanos e votou pela preservação das nossas florestas. Temos o desafio de promover o desenvolvimento sustentável dessa região. Dos 4 milhões de barris de petróleo do Brasil, o Rio de Janeiro produz 3 milhões e 500 mil. A gente precisa voltar a falar em todos os cantos aquilo que o presidente Lula tem falado e que precisamos reforçar: não podemos ter vergonha de dizer que nós exigimos e vamos lutar por conteúdo nacional nas encomendas da Petrobrás", enfatizou Rodrigo Neves.

O ministro de Portos e Aeroportos, Silvio Costa Filho, destacou a importância do Complexo Naval e Portuário de Niterói para a retomada do setor em nível nacional de acordo com o planejamento do Governo Federal.


"Ninguém pode contar a história do Rio de Janeiro sem falar dos aeroportos e a importância da indústria naval para a economia brasileira. O presidente Lula colocou que é uma prioridade do seu governo fortalecer a indústria naval de Niterói para gerarmos emprego e renda para essa região e para o Brasil. A dragagem do Canal de São Lourenço, através de parceria entre a Prefeitura e o Governo Federal, vai viabilizar essa obra no Canal e no Terminal Pesqueiro. O presidente Lula mais uma vez vai retomar a indústria naval do país e Niterói terá um papel fundamental”, afirmou o ministro.


O governador do Rio de Janeiro, Cláudio Castro, esteve presente na cerimônia que marcou o início da dragagem do Canal de São Lourenço e ressaltou a importância de as diferentes esferas de governo estarem alinhadas para impulsionar a retomada do setor naval no estado.


"Quero parabenizar o Governo Federal e a Prefeitura de Niterói por esse projeto fantástico que vai, com certeza, transformar essa indústria tão importante no Rio de Janeiro. Conseguimos, através de uma grande parceria com a Prefeitura de Niterói, fazer todas as licenças ambientais para tirar esse projeto do papel e poder fazer essa verdadeira transformação. O Rio de Janeiro concentra 85% da produção de petróleo brasileira e 75% de todo o gás natural produzido. Por isso, o governo do Estado criou a Secretaria de Energia e Economia do Mar para colaborar com a recuperação dessa indústria tão importante que é a indústria naval", disse o governador.


Apoio a Rodrigo

A presença de Lula na cidade foi vista como um aceno à pré-candidatura de Rodrigo Neves (PDT), ex-prefeito e atual secretário Executivo da Prefeitura, às eleições para prefeito neste ano.


Aos brados de 'democracia', Rodrigo Neves foi ovacionado e lembrou o papel de Niterói na vitória de Lula nas eleições de 2022. O município foi o único da Região Metropolitana onde o petista derrotou Jair Bolsonaro (PL) nos dois turnos.


"Para nós, é uma satisfação enorme receber o senhor, sobretudo porque o presidente frequenta Niterói desde o final da década de 70", disse Rodrigo, fazendo, em seguida, um convite a Lula.


"A gente tem um pouco de ciúme da cidade do Rio. Niterói tem a maior quantidade de fortes militares de todo o Brasil. Que o senhor e a primeira-dama na próxima vez que vierem possam se hospedar em Niterói", enfatizou o pré-candidato.


“Eu já vim muitas vezes a esta cidade. Já fiz muitos comícios ali na estação das Barcas. Vou aceitar o convite do Rodrigo, que eu espero que seja do prefeito, para experimentar uma praia aqui em Niterói”, respondeu Lula.


Antes de atravessar a ponte, o presidente cumpriu agenda pela manhã com o prefeito do Rio, Eduardo Paes (PSD). Ele participou da inauguração do Impa Tech, primeira graduação em Matemática do Instituto de Matemática Pura e Aplicada (Impa), localizado na capital fluminense.


Dragagem no Canal de São Lourenço

Foto: Douglas Macedo / Prefeitura de Niterói

Esperada há mais de 15 anos, a dragagem do canal tem grande significado para a região. O desassoreamento deste trecho da Baía de Guanabara acontecerá entre a Ilha da Conceição e a Ponte Rio-Niterói e aumentará de 7 para 11 metros a profundidade (calado), o que permitirá o aumento da função operacional dos estaleiros, o estímulo a novas construções de embarcações e a movimentação do setor de reparos e offshore. O prazo de conclusão da obra é de 15 meses.


A gestão portuária é de responsabilidade federal, mas a Prefeitura, em colaboração com o governo, resolveu assumir os investimentos. Serão R$ 138 milhões de investimento só na dragagem. Como resultado, o Porto vai operar em melhores condições de trabalho e gerar cerca de 20 mil empregos diretos e indiretos.


A Prefeitura de Niterói custeou o Estudo de Impacto Ambiental (EIA/Rima) com um investimento de R$772 mil para a garantia de realização dos trabalhos. O estudo foi entregue ao Instituto Estadual do Ambiente (INEA) e, após a análise para liberação das licenças, os resultados foram apresentados pelo Instituto Nacional de Pesquisas Hidroviárias (INPH) aos órgãos competentes do Governo Federal.


O Município também realizou um estudo minucioso, que levou em consideração a geologia através da análise do solo, níveis de ruídos subaquáticos, caracterização de qualidade da água e qualidade química e microbiológica. A fauna marinha e suas características também foram analisadas.


Outro ponto importante do estudo diz respeito ao uso e ocupação do solo urbano, incluindo os usos residenciais, comerciais de serviço, lazer industrial e público. O aspecto econômico, que inclui economia social e renda média da população no entorno também foi levado em consideração, assim como nível de empregabilidade, proporção da população economicamente ativa, número de habitantes por idade, etnia e sexo.


Na década de 1970, a construção naval e de marinha mercante chegou a empregar mais de 40 mil trabalhadores no estado. Em 2014, a Frente Marítima com base em offshore e o setor pesqueiro também chegaram a empregar cerca de 40 mil pessoas. Só em Niterói, eram mais de 20 mil trabalhadores.


Através de Parceria Público Privada (PPP), a Prefeitura quer trazer para a cidade o que há de mais moderno na indústria da pesca, com base em portos pesqueiros semelhantes aos existentes em grandes cidades europeias e asiáticas, beneficiando pescadores e armadores. Seguindo modelos internacionais, o local também servirá para a realização de leilões. A área será de 6.548 metros quadrados.


*Com informações da Coordenadoria Geral de Comunicação da Prefeitura de Niterói

Comments


Chamada Sons da Rússia5.jpg
banners dengue balde niteroi 300x250 29 2 24.jpg
Divulgação venda livro darcy.png
bottom of page