top of page

Em um 1 mês, Caixa autoriza R$ 29 milhões para cidade da família Bolsonaro


Assessor da Presidência, prefeito Vinícius Brandão, Jair Bolsonaro e Renato no Palácio da Alvorada (Reprodução)

Menos de um mês após uma visita do irmão do presidente Jair Bolsonaro (PL), Renato Bolsonaro, à sede da Caixa Econômica Federal em Brasília, o banco público assinou liberação de R$ 29,6 milhões ao município de Miracatu, onde trabalhava como chefe de gabinete do prefeito. Os repasses do governo federal para a pequena cidade de 20 mil habitantes, localizada a 139 quilômetros da capital de São Paulo, representam o dobro dos recursos da Caixa para Miracatu ao longo de 14 anos. As informações são do Globo.


O volume recorde nos últimos anos para a região onde Jair Bolsonaro cresceu é de R$ 40 milhões em verbas de convênios com ministérios que passaram pelo crivo do banco. Desse total, R$ 33,6 milhões foram autorizados em 2021, sendo a maior parte, R$ 29,6 milhões, destinada em dezembro do ano passado, período que coincide com a passagem do irmão do presidente pela sede da Caixa.


Quando ingressou na sede da Caixa, no dia 24 de novembro do ano passado, Renato Bolsonaro estava acompanhado por uma comitiva para uma reunião sobre as demandas de recursos para Miracatu.


Só para uma obra do portal de entrada da cidade foram destinados R$ 3,7 milhões do contrato com a Caixa.


Para Registro, cidade vizinha e maior município da região com 56 mil habitantes, foram viabilizados pela Caixa R$ 1,5 milhão em 2021, ou seja, apenas 3,7% do total destinado no mesmo ano para Miracatu.


Renato Bolsonaro e o prefeito de Miracatu, Vinícius Brandão, não quiseram se pronunciar sobre o caso, segundo a reportagem.


A Caixa afirmou por meio de nota oficial "que atua apenas como 'mandatária da União' para os repasses e que age em conformidade com as regras. Cabe ao banco público analisar os contratos e chancelar os pagamentos dos convênios assinados entre o município e os ministérios".

300x250px.gif
728x90px.gif