Sob Bolsonaro, R$ 41 mi para empresa de ex-mulher de Wassef


Entre janeiro de 2019 e março deste ano, a empresa Globalweb Outsourcing recebeu R$ 41,6 milhões por prestação de serviços de informática e tecnologia da informação a diferentes órgãos do governo federal sob Bolsonaro, como o Ministério da Educação e o Banco Nacional de Desenvolvimento Social (BNDES). Essa empresa é ligada à ex-mulher e sócia do advogado Frederick Wassef, que defende o senador Flávio Bolsonaro (Republicanos-RJ), e também proprietário da casa onde Fabrício Queiroz estava escondido em Atibaia, no interior de São Paulo, quando foi preso pela polícia na última quinta-feira (18).

A Globalweb já prestava serviços nos quatro anos de gestão anteriores, de Dilma Rousseff e Michel Temer. No entanto, no portal da Transparência e no Diário Oficial, os contratos que a empresa tinha negociado com governos anteriores foram prorrogados e receberam aditivos de R$ 165 milhões na administração do presidente Jair Bolsonaro.

Além dos aditivos, o governo fechou novos contratos com a Globalweb no valor de R$ 53 milhões. No total, são R$ 218 milhões a serem pagos pelos cofres públicos nos próximos anos. As informações são do UOL.

300x250px.gif
728x90px.gif