Encontrados mais corpos de vítimas da tragédia no Lago de Furnas


(Reprodução)

Os dez corpos de vítimas do desmoronamento de uma falésia no lago de Furnas, em Capitólio-MG, no sábado (8), já foram encontrados. Neste domingo, foram resgatados pelo Corpo de Bombeiros de Minas Gerais mais três corpos, sendo que dois são de um homem de 37 anos e do filho dele, de 14 anos - respectivamente, neto e filho do homem de 67 anos e da mulher de 57 anos, de Itaú de Minas (MG), que já estavam confirmados entre os mortos.

De acordo com o delegado Marcos Pimenta, da Polícia Civil mineira, até agora foram identificados apenas dois corpos, um formalmente, com base nas impressões digitais, e outro com base em reconhecimento precário de parentes, que ainda requer comparação com material genético. O impacto da rocha, informou o delegado, está dificultando os trabalhos de reconhecimento.

Os trabalhos de busca recomeçaram às 5h da manhã deste domingo (9) envolvendo cerca de 50 profissionais, entre bombeiros e militares da Marinha. Ao todo, 11 mergulhadores do Corpo de Bombeiros atuam na operação. A Marinha do Brasil emprega sete viaturas, quatro lanchas e três motos aquáticas.

As operações haviam sido interrompidas às 19h de sábado por falta de visibilidade. O desabamento ocorreu por volta das 12h30, quando um grande bloco de pedra se desprendeu do cânion do Lago de Furnas e caiu sobre pelo menos três lanchas. Duas embarcações afundaram.

Além dos dez mortos, a tragédia deixou 32 pessoas feridas. Pelo menos dois dos feridos tiveram fraturas expostas e passaram por cirurgias em hospitais da região. Vídeos nas redes sociais mostraram o momento do desabamento, no principal ponto turístico do passeio de lancha, com duas cachoeiras na entrada do cânion.

Momentos antes da queda de uma grande rocha que atingiu as embarcações, ocupantes de outras lanchas nas proximidades tentaram alertar o grupo para que se afastassem do local, devido à queda iminente da pedra: "Sai daí", gritaram.

Vítima identificada

A Polícia Civil confirmou o primeiro nome de vítimas da tragédia. Trata-se de Júlio Borges Antunes, de 68 anos. Ele estava na lancha diretamente atingida pela rocha que se desprendeu do paredão.

Segundo a polícia, todos os mortos e desaparecidos estavam na lancha de nome "Jesus" e estavam hospedados em uma pousada de São José da Barra antes de fecharem o passeio de barco em Capitólio. Sete corpos foram encontrados ainda no sábado, no local do acidente.

Toda Palavra_Banner_300x250_Celular.gif
1/3
NIT_728x90-03.gif
NIT_300x250-01.jpg