top of page

Envelhecimento é tema de mostra interativa no Museu da República

No passado, envelhecer era um privilégio de poucos, mas isso mudou. Em 2050, estima-se que 31% da população vai ter mais de 60 anos no Brasil. A expectativa de vida aumentou mais de 30 anos no último século. Pela primeira vez na história, haverá mais idosos que crianças – e essa revolução da longevidade traz muitas oportunidades e desafios para as cidades e a sociedade.

Divulgação

Esse é o tema da Exposição Cidade 60+, em cartaz no Museu da República de 13 de maio a 16 de julho, que convida o público de todas as idades a vivenciar diferentes situações do cotidiano na cidade, compartilhar experiências e discutir temas como saúde, preconceito, qualidade de vida e acessibilidade das pessoas com mais de 60 anos. Com idealização da Festum e coorealização da Folguedo, a exposição tem apoio da Lei de Incentivo à Cultura / Ministério da Cultura e patrocínio da Sotreq.


A exposição ocupa três salas do museu com diversos vídeos, jogos, experimentos, intervenções artísticas e depoimentos de pessoas 60+ e de especialistas que atuam por uma sociedade mais justa e inclusiva. Reúne ainda intervenções artísticas como fotografias documentais de Claudia Ferreira, um curta-metragem imersivo de Andressa Núbia, uma videoinstalação de Leonardo Martins, o yarnbombing ou bombardeio de fios da artesã Luiza Andreia, lambes de Alberto Pereira e a série “LGBT+60: Corpos que Resistem”, idealizada pelo jornalista Yuri Fernandes. A mostra conta com audiodescrição e tradução em Libras – a Língua Brasileira de Sinais.

Divulgação

Na semana de inauguração, a programação inclui atividades culturais temáticas ao livre, nos jardins do Museu da República. Haverá apresentação do Coral do Museu da República, da roda de samba A Gloriosa, grupos de Seresta do Museu da República e performance artística de Julie Brasil. Além disso, a Exposição Cidade 60+ inclui uma série de oficinas de acessibilidade cultural e cheia de atitude, sobre temas como capacitismo e acessibilidade científico/cultural e tecnológica.


“Depois de desenvolver a Exposição Cidade Acessível, que discute acessibilidade e mobilidade urbana, percebemos a importância de pensar essas questões a partir dos idosos. Essa é uma reflexão que interessa a todos, pois todos envelhecemos, e o envelhecimento da população é uma das questões sociais, econômicas e culturais mais importantes no mundo atual. E no momento já estamos trabalhando no próximo projeto, a Exposição Cidade Mulher, que aborda o acesso, mobilidade e direito à cidade a partir de uma perspectiva de gênero, visibilizando intervenções artísticas urbanas de mulheres”, dizem os idealizadores e realizadores da Exposição Cidade 60+.


A Exposição Cidade 60+ faz parte de uma plataforma de conteúdos e experiências sobre temas como saúde, preconceito e acessibilidade das pessoas com mais de 60 anos. É possível visitar também a Exposição Virtual Cidade 60+.



O Palácio do Catete, que abriga atualmente o Museu da República, é um prédio histórico localizado na cidade do Rio de Janeiro e foi palco de diversos episódios importantes da história. O Museu da República busca contribuir para o desenvolvimento sociocultural do país por intermédio de suas ambientações, exposições temporárias e de longa duração, eventos culturais, ações de preservação, pesquisa e comunicação do patrimônio cultural republicano que conserva. O seu compromisso é com a universalização democrática do acesso aos seus acervos, o respeito à diversidade e a construção da cidadania.


Nas redes: www.instagram.com/museudarepublica


Sobre a Folguedo


Desde 2005 atua com educação, cultura, arte e ciência, criando experiências inovadoras e acessíveis que misturam expografia, cenografia, design, tecnologia e conteúdo criativo. Já realizou mais de 60 projetos para exposições, ações, eventos, festivais, museus, marcas, sites, sinalização e humanização de espaços. Atua desde a conceituação até o produto final, em projetos autorais ou em parceria com clientes.


Nas redes: www.instagram.com/folguedo/

Divulgação

Programação completa da inauguração:


13/5, sábado


- Abertura para o público 11h

- Fala de abertura da exposição 11h15 (no pátio / tenda)

- Gris - performance artística de Julie Brasil 11:30 (nos jardins e Palácio)

- Roda de samba A Gloriosa 14h às 16h (no pátio / tenda)

- Seresta do Museu da República 16h às 17h (no pátio / tenda)


14/5, domingo


- Coral do Museu da República 11h às 12h (no pátio / tenda)

- Oficina pra famílias 14h às 15h (no pátio / tenda)

- Seresta do Museu da República 15h às 17h (no pátio / tenda)


15 a 19.5, segunda a sexta

Oficinas de acessibilidade cultural e atitudinal (na sala multimídia do anexo do Museu)


Segunda-feira, 15 de maio, de 14 às 18h

O que é capacitismo? com Isabel Portela


Terça-feira, 16 de maio, de 14 às 18h

Acessibilidade científico/cultural e tecnológica com Stella Savelli


Quarta-feira, 17 de maio, de 14 às 18h

Acessibilidade cultural com recursos e serviços de Tecnologia Assistiva com Miryam Pelosi


Sexta-feira, 19 de maio, de 14 às 18h

Oito Rodas em uma Roda de Conversa (convidados: Juliana Oliveira, Renata Vargas de Carvalho, Silvio Tendler) com Lucília Machado


Serviço


Exposição Cidade 60+

Data: De 13 de maio a 16 de julho

Horário: Das 10 às 17h de terça a sexta / das 11 às 17h sábados, domingos e feriados / Fechado às segundas feiras

Local: Museu da República, Rio de Janeiro

Endereço: Rua do Catete, 153 - Catete, Rio de Janeiro - RJ, 22220-000

Ingressos: entrada gratuita

Agendamento de grupos: Ficará disponível no perfil da Folguedo no Instagram.

*Inscrições via formulário a ser divulgado nas redes sociais do projeto




Comments


Divulgação venda livro darcy.png
Chamada Sons da Rússia5.jpg
bottom of page