top of page

Escritor conversa sobre livro que analisa as Academias de Letras

O escritor e pesquisador de memória literária Jordão Pablo de Pão fará duas rodas de conversa a partir de seu livro “Afinal, para que Academias de Letras?” (editora ETÉ, 2023), em 13 de junho, às 16h, na Biblioteca Central do Gragoatá, vinculada à Universidade Federal Fluminense; e em 16 de junho, às 15h, na Biblioteca Popular Municipal Anísio Teixeira, vinculada à Secretaria Municipal de Educação. A obra apresenta ao grande público o conceito, as linhas gerais de funcionamento, parte da história e o posicionamento do autor sobre algumas eleições polêmicas recentes nas Academias de Letras. A entrada é gratuita e a classificação etária, livre.

Divulgação

Nas 160 páginas do livro, textos curtos publicados por Jordão Pablo de Pão em jornais e coletâneas são retomados, articulados a trabalhos inéditos. O objetivo central é apresentar, de forma didática e historicamente simples, os conceitos e os processos que as Academias de Letras tomaram no Brasil.


"Não se trata de uma obra definitiva ou de um material aprofundado sobre esta ou aquela Academia. Busco uma visão geral, acessível e democratizadora, para que falemos seriamente sobre questões que apenas as eleições controversas despertam na sociedade", afirma o pesquisador.


A comoção causada pela entrada ou não de personagens essenciais da nossa cultura motiva, inclusive, um estudo sobre o que são as cultuadas Letras, a partir da compreensão da adesão ao afeto nesse formato institucional tão duro em terras europeias, que é sua gênese.


A obra traz apontamentos históricos que contribuem para o entendimento da dinâmica sociocultural daquelas instituições, sem a pretensão da introdução de verbetes ou linhas só tempo. Os textos se sucedem e abordam aspectos complexos da construção das Academias de Letras no país sem o distanciamento científico almejado pela historiografia tradicional.


No texto da quarta capa, o autor chancela que se trata de um trabalho "sem isenção". Estão contempladas na obra as candidaturas de Maurício de Sousa e Conceição Evaristo, da safra mais atual de candidaturas, até particularidades históricas como a escritura do "Poeminha do contra", de Mario Quintana, até a dificuldade da eleição de mulheres no sodalício. Os pleitos mais recentes revelam, segundo a obra, que há interesse de diálogo com essas confrarias.


A condução definitiva da estrutura das Academias de Letras para o acolhimento da sociedade resolve a necessidade de atualização essencial segundo a pesquisa apresentada.


"Para fazer da obra um exemplo de aproximação que não nega a tradição, mas aprende com ela, publico meu Discurso de Posse na Academia Niteroiense de Letras e um cordel inédito sobre a peleja entre o pequeno escritor e a grandiosidade da instituição. São índices do respeito que se deve, sobretudo, ao já construído", revela Jordão.


O livro defende a manutenção das bibliotecas, a abertura das sedes ao público com atividades gratuitas e a facilitação do diálogo com os escritores que ainda não tenham alcançado a imortalidade como pilares da transformação proposta.

O autor


Jordão Pablo de Pão é pesquisador de Memória Literária, Escritor e Gestor Público. Pesquisador da história da literatura e das academias de letras, participa de instituições do gênero. Membro Titular da Academia Niteroiense de Letras. Ministrante de cursos e palestras sobre a história da literatura e a literatura da região metropolitana do Rio de Janeiro. "Afinal, para que Academias de Letras?" (2023) é o primeiro livro individual a partir da pesquisa acadêmica de Jordão.


Autor dos livros literários "Cáustico" (2023), "Doce Maresia" (2021), "Café Quente" (2019) e "O Mar do Meu Velho" (2018-9), além de mais de uma dezena de livros artesanais e fanzines. Editor e Revisor de Texto, Cofundador da Editora ETÉ. Participante de diversas publicações coletivas e, como julgador, de diversos concursos literários. Há quinze anos ininterruptos atua na gestão pública municipal de Niterói-RJ. Pós-Graduado em Arquivo: Patrimônio Cultural, Histórico e Artístico. Graduado em Letras pela Universidade do Estado do Rio de Janeiro.


Ficha Técnica


Obra: Afinal, para que Academias de Letras?

Autoria: Jordão Pablo de Pão

Gênero: relatos de historiografia literária

Editora: ETÉ

Quantidade de páginas: 160


Serviço


Rodas de conversa com Jordão Pablo de Pão


Dia 13/6 (terça-feira)

Horário: 16h

Local: Biblioteca Central do Gragoatá - Universidade Federal Fluminense

Endereço: Rua Prof. Marcos Waldemar de Freitas Reis, s/n - São Domingos, Niterói


Dia 16/6 (sexta-feira)

Horário: 15h

Local: Biblioteca Popular Municipal Anísio Teixeira (Campo de São Bento)


Classificação Etária: Livre

Entrada Franca


Comments


Divulgação venda livro darcy.png
Chamada Sons da Rússia5.jpg
bottom of page